A UEFA abriu esta quarta-feira um procedimento disciplinar contra o Spartak Moscovo devido a cânticos racistas feitos antes da partida frente ao Liverpool, no dia 26 de setembro, da segunda jornada da Youth League (Grupo E).

Segundo a imprensa britânica, os cânticos racistas foram direcionados a Bobby Adekanye, de 18 anos, extremo dos reds que nasceu na Nigéria e joga pela seleção holandesa.

Os campeões russos já tinham sido multados e suspensos de assistirem a um jogo fora após terem acendido um very light que quase atingiu o árbitro.

O Spartak enfrenta ainda mais acusações depois dos seus adeptos terem protestado contra a primeira decisão com bombas de fumo e uma bandeira na qual se podia ler "UEFA é Máfia".

O Spartak ocupa o segundo lugar do grupo E da UEFA Youth League, com os mesmos três pontos que o Liverpool, Maribor e Sevilha.

Autor: Lusa