O avançado do Atlético Nacional, Orlando Berrio, agradeceu este domingo o apoio dos adeptos da Chapecoense, após terminar o Mundial de Clubes no terceiro lugar.

"Estiveram todos connosco e essa foi uma das motivações para os nossos bons desempenhos", afirmou Berrio, depois do triunfo por 4-3 no desempate através de grandes penalidades no encontro de atribuição do terceiro posto do Mundial, diante dos mexicanos do Club América, que terminou empatado 2-2 no tempo regulamentar.

O Atlético Nacional deveria ter defrontado a Chapecoense, a 30 de novembro, em jogo da primeira mão da final da Taça Sul-americana, em Medellín, mas o acidente aéreo que vitimou grande parte da formação brasileira ditou o cancelamento dos embates.

A Chapecoense foi declarada vencedora do troféu, a pedido do clube colombiano, o que aproximou os clubes e os seus adeptos.

"A Chapecoense não é do nosso país, mas os seus adeptos e simpatizantes estiveram connosco e isso deixa-me muito contente", frisou Berrio.

O treinador do emblema colombiano, Reinaldo Rueda, também recordou a tragédia, assegurando que, durante o jogo, jogadores e equipa técnica pensaram nas famílias das vítimas.

Em 29 de novembro, a queda do avião da companhia boliviana Lamia perto de Medellín (Colômbia) causou a morte a 71 das 77 pessoas que seguiam a bordo, incluindo a maioria dos jogadores da Chapecoense, dirigentes e jornalistas que acompanhavam a equipa, que se preparava para disputar a primeira mão da final da Taça sul-americana com os colombianos do Atlético Nacional.

Autor: Lusa