O Brasil vai receber a próxima edição da Copa América, em 2019, e a prova terá algumas novidades. A principal será o facto de ter 16 seleções participantes, juntando-se às 10 equipas da Conmebol - Confederação Sul-Americana de Futebol - seis convidadas. Uma delas poderá ser Portugal, pois a ideia é convidar os países latinos da Europa a marcar presença naquela que será a última edição da competição a disputar-se num ano ímpar.

Como organizadora da prova, a CBF propôs o novo formato ao Conselho da Conmebol, reunido em Santiago, no Chile, e o apoio foi inequívoco. Assim, além de Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile, Peru, Bolívia, Colômbia, Equador e Venezuela, deverão ser convidados duas seleções da Concacaf - Estados Unidos e México são os naturais candidatos, até porque já participaram várias vezes na competição -, mas também Portugal, Espanha, França e Itália.

Caso estas equipas convidadas não respondam todas de forma positiva, há ainda a possibilidade de completar o lote de participantes com seleções asiáticas, pois a Conmebol descartou a hipótese de realizar a Copa América de 2019 com 10 ou 12 países, como vinha sendo habitual.

Nos moldes dos Europeus

Refira-se que depois desta edição a realizar no Brasil, a Copa América passará a disputar-se de quatro em quatro anos - em 2020 voltará a ter lugar um torneio especial, nos Estados Unidos, à semelhança da Copa América Centenário de 2016, com a prova seguinte a ter lugar em 2024 -, nos mesmos moldes dos Europeus, embora não necessariamente nas mesmas datas. 

Segundo o site globoesporte.com, a edição de 2019, na qual o Chile defenderá o título, será disputada em sete cidades e oito estádios brasileiros. São Paulo (com dois recintos, o do Corinthians e o do Palmeiras), Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Salvador e Porto Alegre serão as localidades já definidas - embora ainda não tenham sido anunciadas oficialmente -, enquanto a sétima sede será escolhida entre Fortaleza e Recife.


Autor: António Carlos. Rio de Janeiro. Brasil