Se entretanto não der o dito por não dito, Messi junta-se ao indesejável lote de ‘monstros’ que nunca conquistaram qualquer troféu pela seleção principal. Do rol fazem parte, entre outros, Eusébio, Cruijff, Di Stéfano, Zico, Raúl, Figo, Baggio e Ballack. A Pulga tem quatro finais perdidas, três da Copa América e uma do Mundial, só tendo arrecadado troféus pelas categorias inferiores, o Mundial’2005 (sub-20) e os Jogos Olímpicos’2008 (sub-23).

O percurso de Messi na seleção dura há 10 anos e 10 meses. Totaliza 113 jogos, 55 golos (superou, nesta Copa América, Gabriel Batistuta como melhor marcador da alviceleste) e 35 assistências. Ao longo de toda a carreira, o camisola 10 soma 68 penáltis convertidos em 88 cobrados, tendo falhado ontem pela primeira vez num desempate. Não podia ter escolhido pior o momento...