A federação líbia de futebol pediu esta tarde à FIFA a anulação e a repetição do jogo de qualificação para o Mundial'2018 com a Tunísia, depois de descobrir que a mulher do árbitro é de nacionalidade tunisina.

Segundo o diário de língua inglesa Libya Observer, o árbitro Davies Omweno, de nacionalidade queniana, considerado um dos melhores do seu país, não só é casado com uma cidadã tunisina como viaja habitualmente para aquele país do Norte de África.

O jogo disputado em 11 de novembro de 2016 suscitou muita polémica por ter sido anulado um golo à seleção líbia devido a um fora de jogo duvidoso, pela expulsão do capitão líbio na segunda parte e pelo penálti que deu a vitória à Tunísia, por 1-0.

Depois da partida, quer Omweno como um dos seus assistentes, o eritreu Berhe O'Michael, foram suspensos durante três meses pela Confederação Africana de Futebol (CAF).

A derrota contribuiu para a eliminação da Líbia para a derradeira ronda de qualificação para o Mundial.

Autor: Lusa