Assinatura Digital

Argentina empata e continua com o apuramento em risco

Sportinguista Acuña foi titular diante do Peru

Consegue o leitor imaginar um Mundial sem Lionel Messi, um dos melhores jogadores da atualidade e já visto como um dos melhores da história? O cenário parecia pouco provável até há uns meses, mas esta madrugada ficou ainda mais perto de acontecer. É que, com o empate desta sexta-feira diante do Peru, sem golos, a Argentina caiu para o sexto posto da zona sul-americana de apuramento para o Mundial'2018, ficando fora dos lugares de apuramento - seja direto ou via playoff.

E não foi por falta de tentativas que a turma das pampas não venceu... A começar pela escolha do estádio. Ao contrário do habitual - os jogos costumam ser no Monumental -, o encontro com o Peru foi jogado na Bombonera, em busca de um ambiente mais 'intimidatório'. Não chegou. Depois, no jogo jogado, nas inúmeras chances de golo que teve ao seu dispor. E nem mesmo Messi, que foi o habitual homem da bola, conseguiu resolver a questão em favor da Argentina, que esta madrugada voltou a contar com o sportinguista Marcos Acuña (foi titular e cumpriu os 90 minutos a lateral/ala esquerdo).

Colômbia do céu ao inferno

A noite não foi apenas de tristeza para os argentinos. Veja-se o caso da Colômbia, que em três minutos passou da euforia de estar apurada para ter de lutar até à última por uma vaga na Rússia. A formação colombiana vencia por 1-0 diante do Paraguai já nos instantes finais - golo de Falcão aos 79' -, até que o ex-benfiquista Oscar Cardozo (89') e Antonio Sanabria (90'+2) fizeram os dois golos que fizeram a reviravolta e adiaram o apuramento cafetero.

Uma última jornada de loucura

Fica tudo então adiado para a última ronda, que promete ser efetivamente de cortar a respiração. É que, com quatro lugares de apuramento direto e um por via de playoff, a zona sul-americana apenas tem uma vaga fechada (a do Brasil). Estão por definir as outras três seleções apuradas diretamente, havendo seis equipas ainda com chances matemáticas para as conseguir.

Neste sentido, há uma equipa destas seis que tem praticamente o seu apuramento garantido: o Uruguai. A turma celeste, que esta madrugada empatou sem golos frente à Venezuela, totaliza 28 pontos e tem do seu lado uma diferença de golos positiva de 10 (é esse o primeiro critério de desempate), ao passo que todas as outras têm diferenças bastante baixas.

Voltando à Argentina, refira-se que à entrada para a última jornada a turma das pampas depende apenas de si no que ao apuramento para o playoff diz respeito. Quanto ao apuramento direto, aí terá de vencer (defronta o Equador, fora de casa) e esperar que duas das três equipas que estão acima na tabela (Chile, Colômbia e Peru) deslizem. Nada fácil.

Veja as contas do grupo sul-americano.

Autor: Fábio Lima

PUB