O internacional argentino Javier Mascherano, do Barcelona, revelou esta quinta-feira que vai abandonar a seleção após o Mundial'2018, na Rússia, admitindo ainda que "talvez" saia do clube catalão no final da presente temporada.

Em entrevista ao canal televisivo TyC Sports, o experiente defesa, de 33 anos, explicou que o seu nível exibicional em 2016 não foi "tão bom como em outros anos", mas que se sente "muito melhor agora".

"Está claro que no clube jogo menos, porque há lá centrais que são do melhor. Vou lutar pela posição e sobretudo estar preparado para quando me chamam", apontou Mascherano.

Ainda assim, o futebolista não coloca de parte sair do clube no final da época, revelando que "ainda não aconteceram conversas" com vista à renovação do vínculo entre as duas partes, mesmo que o Barcelona já tenha mostrado estar "satisfeito" com o seu trabalho.

Na seleção, o defesa pretende "terminar o ciclo na Rússia" e tem a intenção de "tentar voltar a estar numa final", depois da que perdeu em 2014 para a Alemanha. Mascherano aproveitou ainda para elogiar o colega de equipa e de seleção Lionel Messi, alguém "diferente do resto dos jogadores e património de todos".

"É como os grandes artistas, não tem nacionalidade. Pertence a toda a gente que paga bilhete para o ver", acrescentou, elogiando ainda o selecionador alviceleste, Jorge Sampaoli, que "procura sempre a melhor equipa e joga muito ofensivo, com muito risco e a pedir muita coragem".

'Jefecito', como é conhecido, acumulou até ao momento 139 jogos pela seleção argentina (três golos), e cumpre atualmente a oitava temporada no Barcelona, para onde se transferiu do Liverpool.

Entre 14 de junho e 15 de julho de 2018, Mascherano deverá ser um dos eleitos de Sampaoli para o Mundial de 2018, prova à qual a Argentina acedeu 'in-extremis', graças a um triunfo por 3-1 no Equador, selado com um hat trick de Messi.

Autor: Lusa