Um campo sintético – à imagem do que Portugal encontrou nas Ilhas Faroé – e um adversário que "não quis jogar". Eis as grandes dificuldades que a Seleção Nacional encontrou em Andorra, explicou João Mário, médio do Inter Milão, via zona mista.

"Preferimos não jogar em sintético, mas teve de ser. Nas Ilhas Faroé também foi assim. Creio que Andorra não quis jogar, dificultou a nossa missão, mas conseguimos vencer", analisou o ex-Sporting, atestando a importância do capitão Ronaldo na manobra da equipa: "Estamos sempre necessitados de Ronaldo, claro. Entrou, marcou e ajudou-nos. Começando de início ou ao intervalo, ajuda-nos sempre", acrescentou, virando, depois, o discurso para o embate da próxima terça-feira: "Temos uma final e para passar em primeiro precisamos de vencer. Não começamos bem, com a Suíça, foi preciso correr atrás do prejuízo mas vamos com as melhores perspetivas." Na Luz, concluiu, o papel do público será essencial para que Portugal possa conquistar o apuramento direto para o Mundial. "Temos a noção da importância deste jogo e sei que o público vai ser muito importante para nós."