A seleção espanhola recebe esta sexta-feira a Albânia, em Alicante (19H45), mas a situação vivida na Catalunha continua a ser o tema em destaque, nas conferências de imprensa do grupo. Esta quinta-feira, foi a vez do capitão da 'La Roja', Sergio Ramos, abordar o assunto. O central do Real Madrid falou da relação com Piqué e foi cauteloso quando foi questionado se um independentista deveria jogar na seleção espanhola.

"Um independentista na seleção? Não sou eu que tenho que falar disso, há instâncias superiores que podem falar de tudo. Espero poder viver num país livre e democrático. Sabia que ia ser uma semana complicada. O desporto não é política e há que separá-los. Acima de tudo, está o Mundial e temos que nos manter fora de tudo o resto, apesar de nos afetar, já que, como espanhóis, não gostamos da mensagem que estamos a passar", defendeu.

"Precisava de conversar com o Gerard [Piqué] e com o meu selecionador antes de falar e por isso não o fiz até agora. Não sou porta-voz de ninguém e não serei eu a dizer o que as pessoas devem fazer. Porém, como capitão do Real Madrid e da seleção, tenho o dever de unir o grupo", prosseguiu Sergio Ramos.

A relação do central com Gerard Piqué, atleta que tem sido alvo de escrutínio por parte da imprensa nos últimos dias devido à sua continuidade na seleção, voltou a ser questionada. Recorde-se que o jogador do Barcelona já tinha assegurado que mantinha uma boa relação com Sergio Ramos, declaração que foi reforçada pelo capitão do grupo. "Temos uma relação muito boa, apesar de pensarmos de forma diferente, tal como tenho com todo os jogadores que aqui estão. Cada um é do seu pai e da sua mãe, mas está tudo bem."

Desta forma, o central do Real Madrid assegurou que a equipa orientado por Julen Lopetegui está focada no jogo frente aos albaneses. "Não nos desconcentramos. Todos estamos unidos pelo objetivo do jogo frente à Albânia e dar mais um passo rumo ao Mundial. Seria o meu quarto. Espanha é o meu país e é um orgulho estar com a seleção e jogar algo tão bonito como o Mundial", frisou.

A Espanha lidera o grupo G da zona europeia de qualificação para o Mundial'2018, com 22 pontos, mais três do que a Itália, e uma vitória no próximo jogo garante quase em definitivo o passaporte para a fase final que se disputa na Rússia no próximo ano.