Radamel Falcão chegou esta sexta-feira a um princípio de acordo com o Fisco espanhol para se declarar culpado de delitos fiscais, ilibando o empresário Jorge Mendes, confirmou à agência Lusa fonte próxima do futebolista.

O acordo implica o pagamento por parte jogador do Monaco de 6.920.074,57 euros, o que significa que a Fazenda Pública espanhola terá de o reembolsar em 1.305.526,52 euros, uma vez que o avançado colombiano já tinha pagado 8.225.601,09 euros.

Falcão torna-se assim no primeiro jogador representado por Jorge Mendes a declarar-se culpado de delito fiscal, o que absolve o empresário português, que já tinha sido ilibado nos processos judiciais de outros clientes, designadamente do treinador do Manchester United, José Mourinho, por o Fisco espanhol ter reconhecido não ter provas para o acusar.

Se Jorge Mendes passou a ter menos uma dor de cabeça, não deixa de ter outra bem grande, que decorre do processo movido pelo Fisco espanhol a Cristiano Ronaldo, no qual é arguido e terá de comparecer em Tribunal em 19 de outubro para prestar esclarecimentos.

Segundo o jornal espanhol El Mundo, a decisão de negociar com o Tesouro espanhol foi tomada e conduzida pelos advogados de Falcao, o escritório de advocacia Baker & McKenzie, o mesmo que dava assistência a Cristiano Ronaldo até há uns dias e que o jogador português substituíu pelo penalista José Antonio Choclán, ex-magistrado do Tribunal Nacional.

Falcão fez saber que esta questão fiscal estava a afetar a sua esfera pessoal, familiar e profissional e que a sua esposa, que esteve envolvida na mesma, deu à luz recentemente, razões pela qual pretende um acordo no mais breve espaço de tempo.

Autor: Lusa