O futebolista alemão Thomas Müller afirmou esta quinta-feira que o plantel do Bayern Munique "não tem desculpas" depois da mudança de treinador, admitindo que a chegada do técnico Jupp Heynckes permitiu "libertar a energia" acumulada com Carlo Ancelotti.

O internacional alemão revelou que Heynckes continua a "manter uma aura sagrada" e que este "tem transferido muita energia positiva aos jogadores", com sessões de treino "intensivas e divertidas".

"O que precisamos de mudar? Os resultados. Vamos discutir internamente, pois não podemos revelar esse tipo de coisas nos meios de comunicação", afirmmou à AFP, no âmbito de um evento organizado pelo principal patrocinador do clube bávaro.

Questionado sobre eventuais problemas com o antigo técnico, o italiano Carlo Ancelotti, Müller optou por evitar polémicas, admitindo apenas que "as coisas não foram 100% bem sucedidas" e que os jogadores também são culpados, pois "houve falhas individuais devido a dificuldades de concentração".

"Agora, temos obrigatoriamente de ser mais rigorosos coletivamente", reconheceu.

Jupp Heynckes, de 72 anos, foi apresentado na segunda-feira como novo treinador do Bayern Munique, clube que vai representar pela quarta vez na carreira como treinador, sucedendo a Carlo Ancelotti, que foi afastado devido ao mau início de época da equipa bávara.

Heynckes, que treinou o Benfica em 1999/2000 e 2000/2001, já conduziu o Bayern Munique à conquista de uma Liga dos Campeões (2013), três campeonatos alemães (1988/89, 1989/90 e 2012/2013), três supertaças germânicas (1987, 1989 e 2012) e uma Taça da Alemanha (2012/2013).

O Bayern Munique ocupa atualmente o segundo lugar do campeonato alemão com 14 pontos, a 5 do líder Borussia Dortmund, estando também inserido no grupo B da Liga dos Campeões, no qual ocupa o segundo lugar, a três pontos do primeiro classificado, o PSG, com seis pontos conquistados em duas jornadas.