O Bayern Munique anunciou esta quinta-feira através do seu site que chegou a acordo com Carlo Ancelotti para rescindir o contrato que ligava o clube ao treinador italiano com efeitos imediatos. A decisão foi tomada poucas horas após a derrota da equipa no redito do Paris Saint-Germain (PSG), por 3-0).

O clube adiantou ainda que o sucessor do veterano italiano é Willy Sagnol, antigo internacional francês que integrava a equipa técnica, confimado assim também outra informação que o jornal 'Bild' tinha avançado no final da manhã, como aqui demos conta. Os restantes elementos da equipa técnica de Ancelotti - Davide Ancelotti, Giovanni Mauri, Francesco Mauri e Mino Fulco - também rescindiram.

Sagnol é apontado pelo Bayern como treinador interino, com a comunciação social alemã a adiantar Thomas Tuchel (ex-Borussia Dortmund) e Julian Nagelsmann (Hoffenheim) como sucessores prováveis para o veterano italiano.

"O desempenho da nossa equipa não preenche as nossas expectativas desde o início da temporada. O jogo em Paris mostrou claramente que era necessário agir de imediato. Hasan Salihamidzic [diretor-desportivo] e eu tivemos uma reunião com o Carlo hoje para discutir de forma franca e clara na qual ele foi informado da nossa decisão", exclareceu Karl-Heinz Rummenigge, presidente executivo do Bayern no comunicado divulgado

"Quero agradecer ao Carlo pelo tempo em que esteve a trabalhar connosco e lamentar o caminho que as coisas tomaram. O Carlo é meu amigo e assim continuará, mas tínhamos de tomar uma decisão profissional em defesa dos interesses do Bayern. Espero que a equipa dê uma resposta positiva e mostre uma determinação férrea no sentido de alcançarmos os objetivos estabelecidos para esta temporada", encerrou Rummenigge.

O 'Bild' tinha revelado que a adminstração do Bayern, liderada por Rummenigge, agendara uma reunião para esta tarde na qual estava em cima da mesa a possibilidade de Ancelotti ser demitido do cargo de treinador.

A comitiva do Bayern que se deslocou a França para o jogo da Liga dos Campeões com o PSG só regressa à Alemanha no início da tarde, após o que os principais dirigentes analisariam a situação no decorrer do que o jornal classificou como "reunião de crise", com base em informações recolhidas junto de fontes do clube alemão.

Rummenigge e Salihamidzic recusaram comentar a possibilidade logo após a derrota da equipa em Paris por 3-0, mas no jantar que se seguiu ao jogo frente ao PSG, o presidente-executivo fez um discurso no qual prometeu consequências.

Recorde-se que a prestação do clube na Bundesliga também está longe do que seria de esperar, com um empate e uma derrota já registados em seis jornadas.

Ancelotti sucedeu a Pep Guardiola em maio de 2016 tendo conduzido a equipa à conquista dos títulos na Bundesliga e na Taça da Alemanha.