O Barcelona 'apenas' vai encaixar 144 milhões de euros dos 222 milhões da transferência de Neymar para o Paris SG. Os números constam no relatório referente ao exercício fiscal de 2016/17 - em que o clube apresentou receitas recorde de 708 milhões -, onde são explicados os motivos para o facto de os catalães ficarem com apenas 65 por cento do valor que os parisienses pagaram pelo avançado.

O Barça terá que deduzir os gastos em amortizações referentes a dois anos, para além do prémio de assinatura que estava acordado desde que o internacional brasileiro deixou o Santos e rumou a Camp Nou, perfazendo um total de 34 milhões. Sobram 188 milhões, a que se subtraem ainda mais 44 milhões relativos a uma provisão - adiantamento de uma verba para fazer face a uma provável dívida - devido à disputa nos tribunais com Neymar e o seu pai. Este valor já está separado do orçamento da próxima época e refere-se a prémios por renovação de contrato, nesta altura disputados na justiça. Sobram, assim 144 milhões de euros para os cofres blaugrana, já limpos de qualquer despesa.

Refira-se que a quantia exigida por Neymar e pelo pai em prémios de renovação são 26 milhões limpos, o que significa que o Barça, caso seja condenado, terá de 'largar' os tais 44 milhões brutos.