Faltava cerca de um minuto para o final da pré-temporada de Athletic Bilbao e Alavés, quando o jovem árbitro Palencia Caballero, de 28 anos, decidiu dar por terminado o encontro disputado no Estádio de Lasesarre, em Barakaldo, no País Basco, Espanha.

O vencedor do torneio teria direito a receber um troféu e uma 'txapela', uma boina basca, que acabaram por não ser entregues, já que o encontro não chegou ao final e os 89 minutos jogados terminaram com um empate, a dois golos.

E porque é que o encontro não chegou ao fim? Simples. Após expulsar Alexis, aos 70 minutos, com um vermelho, Palencia Caballero viu-se em apuros para escapar à fúria do defensor do Alavés, que o agarrou, na tentativa de tirar explicação.

Em apuros, o árbitro basco chamou os seus assistentes e convocou os capitães das duas equipas, dando indicação de que tais comportamentos não voltariam a ser permitidos. Vinte minutos volvidos, nova expulsão, de Romero, por entrada dura sobre Saborit.

Perante novo momento de tensão e sem contemplações, Palencia Caballero mandou toda a gente para os balneários, não permitindo sequer que fossem marcados penáltis, para decidir quem levaria o troféu e a famosa boina para casa.

De queixo caído ficou o diretor geral de desportos do governo basco, Juan Martínez de Irujo, ex-jogador de futebol e a quem cabia a responsabilidade de entregar o troféu e 'txapela'.

Uma última nota para os autores dos golos. Pelo Athletic Bilbao marcaram Vesga (42') e Aduriz (56'). Os tentos do Alavés foram assinados por Ibai (52') e Santos (87', pen.).

Autor: João Lopes