"Tenho um contrato que ser resolvido entre a Associação de Futebol Argentina (AFA) e o presidente do Sevilha". Foi com esta afirmação que Jorge Sampaoli confirmou esta sexta-feira aquilo que há muito se sabia.

A partir de segunda-feira, deixará o clube andaluz, para assumir o comando da seleção argentina, regressando ao país-natal, apenas um ano depois de ter tentado a sua sorte no futebol europeu.

Não foi fácil mandar para trás das costas aquilo que, confessa o técnico, era um sonho de muitos anos - chegar e triunfar no futebol europeu -, mas ouviu o coração, que o mandou regressar a casa para cumprir outro sonho de criança e ajudar o seu país.

"Não estou a deixar o Sevilha por outro clube. Estou a deixar o Sevilha pela minha seleção. É uma troca ditada pelo coração do meu país", explicou o técnico que conduziu o Chile à conquista da Copa América em 2016, assegurando que, se não fosse este convite inesperado, lutaria pelo título espanhol na próxima temporada, ao serviço do Sevilha.

"Virou totalmente possibilidade de concretizarmos o sonho do que conseguimos. Era muito motivante o projeto do Sevilha, levá-lo a lutar pelo título no segundo ano, mas apareceu isto", explicita o treinador sul-americano, que nega as notícias avançadas pela imprensa argentina de que teria sido ele a fazer a convocatória para os dois próximos compromissos da seleção celeste, com Brasil e Singapura. 

A terminar, Jorge Sampaoli explicou por que só agora aceitou falar sobre um assunto que estava há muito em cima da mesa e revelou a conversa que teve com o presidente do Sevilha, afastando os rumores de que esta teria sido uma troca de impressões pouco simpática.

"Só disse ao presidente que estava desejoso de dirigir o jogo de sábado. Se a possibilidade de sair se concretizar em termos formais, não haverá nenhuma fratura com o Sevilha, que é o clube que me elegeu. Que se resolva. Foi o que lhe disse. O presidente entendeu e disse-me que estaríamos em contacto a cada momento", explicou o futuro selecionador da Argentina.

Autor: João Lopes