O efeito da contratação de Neymar no Paris Saint-Germain (PSG) promete continuar a subir muito para além dos 222 milhões de euros pagos ao Barcelona pela transferência, salários principestos ou potencial divisões criadas no plantel pelas atitudes de estrela do brasileiro, como é exemplo o desentendimento com Edison Cavani em relação a quem marca livres e penáltis.

O jornal 'Le Parisien' noticiou agora que Neymar colocou como exigência para assinar contrato que o PSG assegurasse Alexis Sánchez como reforço a curto prazo - ou seja já no mercado de inverno ou no final da presente temporada.

Com o contrato que liga o internacional chileno ao Arsenal a chegar ao fim em junho de 2018, a operação até podeira considerar-se simples de concluir, mas não faltam clubes interessados no avançado, entre os quais o Bayern Munique - onde joga o seu compatriota e amigo Arturo Vidal - ou o Manchester City.

Por outro lado, coloca-se a questão do cumprimento do Fair Play Financiero da UEFA, numa altura em que se fará sentir o impacto da contratação de Kylian Mbappé - o pagamento ao Monaco foi 'adiado' para o final da temporada. Nesse enquadramento, o jornal parisiense dá conta da possibilidade de Cavani ser oferecido ao Arsenal já em janeiro como moeda de troca por Sánchez, evitando assim a concorrência.

Resta saber qual será a opinião do avançado chileno que, recorde-se, transferiu-se do Barcelona para o Arsenal em julho de 2014 precisamente por ter ficado sem espaço no 'onze' face à contratação de Neymar.