Afastado dos trabalhos do Paris SG, o criativo Hatem Ben Arfa apresentou formalmente uma queixa contra o clube parisiense por discriminação, depois de ter sido colocado a treinar junto dos juniores. A queixa foi apresentada pelo advogado Jean-Jacques Bertrand junto da LFP, que agora deverá requisitar ao Comité de Assuntos Legais a análise do caso antes de ser tomada uma decisão.

"Enviámos uma queixa por discriminação contra o jogador no seio profissional. O método utilizado para tal é psicológico. Na terça-feira pediram para que se treina-se junto das reservas para não perturbar os trabalhos da equipa na preparação para o jogo com o Bayern. O Hatem entendeu. Na quinta-feira regressou à equipa e mandaram-no voltar às reservas sem qualquer explicação. Aquilo que era uma medida provisória acabou por se tornar em algo permanente. Agora, o Comité vai examinar a nossa queixa e irá requisitar ao Paris SG uma resposta", explicou o advogado, ao jornal 'Le Parisien'.

Recorde-se que, durante o defeso, o jogador já havia deixado uma espécie de 'ameaça' ao clube, pedindo para que este lhe pagasse a devida indemnização referente ao seu despedimento. Na altura, a situação acabou por se arrastar e Ben Arfa ficou no plantel contra a vontade dos donos do clube.

Autor: Fábio Lima