Jamie Vardy admitiu esta segunda-feira ter recebido, através das redes sociais, ameaças de morte, após o Leicester ter despedido o treinador Cláudio Ranieri, que conduziu a equipa ao título de campeão inglês de futebol.

O treinador italiano deixou o clube, ainda campeão em título, há cerca de um mês, com a equipa a lutar pela manutenção, tendo sido noticiado que Vardy teria tido influência na saída de Ranieri.

No estágio da seleção inglesa, Vardy referiu que tem recebido "ameaças de morte à família, filhos", sobretudo nas redes sociais, mas também tem sido abordado na rua.

"Os adeptos de futebol não parecem gostar de mim. Eu deixo andar, mas quando as pessoas abordam a tua mulher quando ela está a conduzir sozinha, com as crianças na parte de trás do carro, não é bom. Já aconteceu várias vezes", lamentou o avançado, de 30 anos.

O dianteiro negou ter estado em reuniões que levaram ao despedimento de Ranieri, revelando que num dos dias em que alegadamente tinha tido um desses encontros conspiratórios passou três horas num controlo antidoping.

Autor: Lusa