José Mourinho está em apuros. Esta é a conclusão que pode retirar-se do discurso do técnico do Manchester United, que passou boa parte da conferência de imprensa de lançamento do encontro de domingo, frente ao Burnley, a queixar-se das limitações do plantel e das ausências forçadas nesta fase decisiva da temporada.

Neste contexto, o treinador, de 54 anos, deixou algumas boas notícias para os adeptos dos 'red devils', como o regresso, a curto prazo, de Wayne Rooney ao onze titular.

"Perdemos Marcos Rojo, não temos Phil Jones, não temos Chris Smalling. Estamos em apuros e, agora, perdemos Zlatan Ibrahimovic também. Mas, no ataque, temos opções: Rooney está prestes a regressar e vamos ver se Juan Mata também pode voltar antes do final da temporada. Vamos ver o que acontece", começou por alinhar José Mourinho, regressando a Rooney mais adiante.

"Ele tem uma mentalidade forte, é um lutador, um homem forte e, mesmo não estando na melhor condição ou no nível de forma ideal para jogar futebol ao mais alto nível, ele tem experiência e carácter", elogiou o português, explicando, de seguida, algumas das decisões técnico-táticas tomadas na partida de quinta-feira, frente ao Anderlecht.

"Herrera joga frente ao Burnley. Nnão jogou na quinta-feira, pois um cartão amarelo fá-lo-ia perder as meias-finais. Estava a pensar nele e em Fellaini para lançá-los simultaneamente na partida, mas a substituição forçada de Marcos Rojo determinou que ele acabasse por não jogar", esclareceu Mourinho, deixando a ideia de que essa pode ser uma boa notícia para o grupo. 

"Herrera está fresco para jogar, Ashley Young está fresco para jogar e quem mais? Ninguém mais está fresco para jogar! Agora precisamos absolutamente de todos", confidenciou treinador dos 'red devils', lamentando o facto de não poder contar com Axel Tuanzebe, o jovem defensor, de 19 anos, promovido em janeiro e que irá participar no Campeonato do Mundo de sub-20, que se realiza, de 20 de maio a 11 de junho, na Coreia do Sul.

Autor: João Lopes