O grande clássico do futebol inglês tem lugar sábado (12h30). O Manchester United visita o Liverpool e à rivalidade histórica entre os dois clubes do norte de Inglaterra junta-se alguma tensão que passou a marcar o relacionamento entre José Mourinho e Jürgen Klopp, um ambiente que o alemão fez questão de desanuviar em conferência de imprensa.

"Não tenho rivalidades pessoais. Não vejo as coisas dessa forma, mas [o clássico] é algo monumental", adiantou o alemão esta sexta-feira, lamentando os efeitos que a jornada de seleções vai ter sobre o jogo de Anfield:

"Gostaria de ter podido pedir à liga inglesa para que desse às duas equipas mais tempo para preparar um jogo destes. Ambos tivemos apenas dois dias para preparar o jogo. Os nossos adeptos estão à espera há pelo menos duas temporadas... e temos dois dias..."

"A equipa do José joga como tem de jogar em cada momento [do jogo]. Quando no defrontaram recorreram muiats veezes a passes longos, mas nem sempre fazem isso. Sabemos que eles têm muita qualidade e estão numa melhor situação em relação ao ano passado - têm jogadores fantásticos. Mas estamos confiantes e ansiosos para que comece o jogo, que é um dos mais especiais em todo o Mundo", analisou Klopp, prosseguindo:

"É uma grande, grande, grande, grande oportunidade. Os nossos desempenhos não foram assim tão maus como as pessoas pensam. Não estamos tão fracos que não tenhamos uma hipóteses de ganhar frente ao Manchester United."

"Não há desculpas, temos de tentar de tudo. O que vejo são duas equipsa mesmo muito boas que se vão defrontar amanhã", prosseguiu o alemão, recusando cenários de 'batalha campal' que marcou vários clássicos nos passado:

"Vi alguns jogos dessa altura e achei que os árbitros tinham de fechar os olhos. No meu entendimento ser agressivo passa por correres o risco de te magoares e não de magoar os outros. se as pessoas estão à espera que todos se atirem uns aos outros deixa de ser possível jogar da forma como fazemos, mesmo em Inglaterra. Temos de ser agressivos de forma positiva e não de foma negativa."