Record

Assinatura Digital Premium Saiba mais

Wenger: «O meu maior arrependimento foi ter ficado 22 anos no mesmo clube»

Treinador reconhece que no Arsenal foi "prisioneiro" do seu desafio

• Foto: Reuters
Arsène Wenger confessou numa entrevista a uma TV francesa que o maior arrependimento da sua vida foi ter ficado mais de duas décadas no Arsenal. 

"O meu maior arrependimento talvez tenha sido ficar 22 anos no mesmo clube. Gosto de coisas novas, de mudanças e de desafios. Fui prisioneiro do meu desafio", contou o técnico francês, de 68 anos.

Wenger reconheceu que teve de fazer sacrifícios também ao nível pessoal. "Descurei a minha família e muitas pessoas. Lamento muito ter sacrificado tudo porque dou-me conta que feri muita gente em meu redor..."

Estará o técnico reformado? "Faço-me a mesma pergunta. Continuo a fazer o que vinha fazendo ou será melhor partilhar todos os conhecimentos que adquiri? É uma pergunta para a qual tenho de encontrar resposta nos próximos três meses." 

 
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Inglaterra

Notícias

Notícias Mais Vistas

M M