Record

Assinatura Digital Premium Saiba mais

Henrique Jones e a causa da morte de Astori: «Só uma bradiarritmia nada elucida»

Record contactou o antigo médico da Seleção Nacional para explicar o que é e por que atletas de alta competição sofrem deste problema

• Foto: Reuters
Conhecido o resultado da autópsia à morte de Davide Astori, da Fiorentina, Record quis perceber por que razão um atleta de alta competição pode sofrer uma bradiarritmia e se é uma situação frequente. Henrique Jones, antigo médico da Seleção Nacional e especialista em ortopedia e medicina desportiva, foi claro:

"A bradiarritmia, só por si, nada elucida porque há ciclistas e fundistas que também têm baixas da frequência cardíaca. O normal é haver entre 60 a 80 pulsações mas estes que falei costumam ter na ordem das 48, 52 ou 54. A bradiarritmia caracteriza-se por uma baixa da frequência cardíaca. Com os dados a que tive acesso, parece ter sido uma falência cardíaca abrupta que atingiu outros órgãos. Porque só uma bradiarritmia nada justifica. Razões normais seriam hipertrofias do ventrículo esquerdo. ", esclareceu.
Por Hugo Neves
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Itália

Notícias

Notícias Mais Vistas

M M