Três dias de treino, 14 minutos em campo, um livre direto...e mais um troféu conquistado. É assim, de forma simples e triunfante, que se resume o regresso de Cristiano Ronaldo à competição, celebrando o primeiro jogo de 2017/18 com uma conquista.

O internacional português, de 32 anos, havia realizado o último jogo a 28 de junho, na meia-final da Taça das Confederações, gozou depois um período de férias e na última semana começou a treinar-se em Madrid, mas apenas no passado dia 5 (sábado) iniciou os treinos com o plantel do Real. Foi o suficiente para demonstrar vontade de ajudar a equipa na Macedónia, Zinedine Zidane levou-o até Skopje e, mesmo ficando no banco de suplentes, foi sempre protagonista.

Festejou os golos dos companheiros, cumprimentou Mourinho e Rui Faria ao intervalo, quando se cruzaram no túnel de acesso aos balneários, e despertou emoções quando, aos 83’, entrou em campo para deixar o seu nome associado a mais uma conquista do Real Madrid.

Segunda Supertaça

Aliás, esta foi a segunda Supertaça Europeia que o melhor jogador do Mundo conquistou na carreira. Sendo um facto que já venceu por quatro vezes a Champions, a verdade é que apenas em 2014 conquistou a Supertaça, já ao serviço do Real Madrid (nunca venceu pelo Manchester United), sendo que na época passada os merengues ganharam ao Sevilha, mas o jogador português não fez parte das opções de Zidane. Desta vez foi lançado aos 83’, desfrutou de 14 minutos em nova conquista do Real Madrid (árbitro deu sete minutos de descontos) e começou a época 2017/18 da mesma forma que acabou a anterior: a ganhar. E deve fazê-lo ao lado de Bale, pois Florentino Pérez foi claro em relação ao futuro do galês tal como já fora sobre o de CR7. "Não contemplo vender Bale", afirmou o presidente do Real Madrid no final da partida na Macedónia.


Autores: António Bernardino e Nuno Pombo

Temas:

CR7