Quando ouvimos falar em Tiago Machado, as bicicletas surgem logo de seguida no pensamento. Afinal de contas, estamos a falar de um ciclista que recentemente participou no Tour ao serviço da Katusha. No entanto, o atleta de 31 anos, natural de Vila Nova de Famalicão, é apaixonado por futebol e não perde pitada... sempre que não está na estrada a treinar. Pois bem, lançámos o desafio de vestir a pele de treinador da Liga Record e o ciclista foi rápido a responder ao nosso repto.

Ainda assim, investir 34 milhões de euros em 11 jogadores não foi simples. "Com 34 milhões não é fácil! Gostava de ter outro guarda-redes, mas não dá. Prefiro apostar nos craques da frente. Não se diz que a melhor defesa é o ataque?", confessa, numa conversa animada com o nosso jornal.

O guarda-redes escolhido foi Matheus, do Sp. Braga, algo que não deixou Tiago Machado plenamente satisfeito, embora não se importasse nada de ver o brasileiro no ‘seu’ Benfica. "Sou benfiquista desde pequeno. Se fosse eu a mandar, ia buscar o Matheus ou o André Moreira para o lugar do Bruno Varela", adiantou.

Numa defesa mais económica, o ciclista aposta em mais dois jogadores do Sp. Braga, no caso, Ricardo Esgaio e Bruno Viana. "Acredito que vão fazer um bom campeonato, como têm feito habitualmente", explicou. Já as outras duas vagas ficam para Marcão, do Rio Ave, e Alex Telles, do FC Porto.

No entanto, as grandes apostas de Tiago Machado surgem do meio-campo para a frente. O famalicense começa com Battaglia (Sporting) e Paulinho (Portimonense), antes de escolher André Horta (Sp. Braga). Na frente, o argentino Salvio, para auxiliar a referência ofensiva: Jonas. "É o melhor do campeonato. Basta ver os três golos que marcou contra o Belenenses. Foi algo digno de um grande jogador", referiu o atleta da Katusha. Já o parceiro ofensivo de Jonas será o rival Aboubakar. "Enquanto o FC Porto aguentar o ritmo do Benfica, ele vai lá estar. Mas depois eles vão ‘rebentar’ como sempre!", acrescentou. No total, Machado gastou 30, 5 milhões de euros.


Autor: Pedro Gonçalo Pinto