A atleta norte-americana Erin Talcott, cuja ameaça de um processo à Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) obrigou à inclusão nos Mundiais da prova feminina dos 50 km marcha, foi este domingo desclassificada nesta especialidade dos Mundiais de Londres.

Talcott, desclassificada logo aos oito quilómetros de prova, quando o cronómetro marcava 43 minutos, era uma das sete mulheres pioneiras que correm hoje a prova, juntamente com a portuguesa Inês Henriques, recordista mundial da distância, com 4:08.26 horas.

A norte-americana ameaçou a IAAF com um processo junto do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) porque entendia que as mulheres também tinham direito de disputar os 50 km marcha, numa altura em que as atletas femininas integravam apenas o programa dos 20 km.

A 12 dias do inicio dos Mundiais de Londres, a IAAF decidiu incluir a prova dos 50 km nos Mundiais de Londres, colocando o grupo de sete mulheres a correr com os homens.

Autor: Lusa