Hoje é o dia há muito esperado por Inês Henriques e Ana Cabecinha, as duas melhores marchadoras portuguesas que competem em provas diferentes. É a última jornada dos campeonatos e Portugal aguarda com enorme expectativa a possibilidade de conquistar mais duas medalhas.

O cenário aponta para Inês Henriques, recordista mundial dos 50 km marcha (4:08.22 horas), até fazer melhor que o seu máximo mundial, já reconhecido pela federação internacional.

"Sinto-me bem e estou tranquila. Não vou cometer exageros por causa das chinesas, que são sempre uma caixinha de surpresas. Mas como treinei bem espero que elas possam pagar caro a juventude e alguma inexperiência numa prova tão dura", comentou a marchadora de Rio Maior.

Henriques assegura que se tiver possibilidade vai tentar superar o seu recorde mundial de 4:08.26 horas, alcançado a 15 de janeiro de 2017, em Porto de Mós, na sua estreia na distância. "Se for possível gostava de fazer menos de 4:06 horas para provar que fiz o mínimo que inicialmente foi anunciado", referiu. No caso de bater o recorde mundial neste campeonato Inês recebe 100 mil dólares, cerca de 84.500 euros da IAAF.

Já Ana Cabecinha, de 33 anos, vai fazer os 20 km e quer melhorar o seu palmarés em Mundiais: 4ª em 2015, 6ª em 2011 e 8ª em 2013. "Há muito tempo que sonho com uma medalha em Mundiais. Há um lote de favoritos e sei que vou estar marcada pelas minhas adversárias", frisou Cabecinha, 6ª nos Jogos do Rio (2016).

Autor: Norberto Santos