A maratonista Sara Moreira revelou esta segunda-feira que a sua participação no Campeonato da Europa de atletismo por equipas ainda é uma incerteza, frisando que precisa de ser avaliada por um médico para ter um feedback da lesão.

"É uma honra para mim estar aqui com os melhores do país. Ontem [domingo] senti uma dor que me fez parar, ainda não posso revelar o que é, porque não fui avaliada. A minha participação dependerá da avaliação médica. É cedo para falar, mas tenho muita vontade em participar", afirmou Sara Moreira, em conferência de imprensa, que contou com os vários atletas nacionais que vão representar Portugal na prova. 

Também o diretor técnico nacional, José Santos, abordou a situação da maratonista, referindo que, caso se confirme a sua ausência, já tem em mente uma atleta substituta.

"Estamos a manter alguns contactos para a sua substituição, se for caso disso. Espero que não seja necessário. Logo, ao fim da tarde, é que teremos a certeza. Vamos fazer força para que fique, porque é uma atleta de valor, quer ficar e gosta de representar o seu país", explicou.

Por sua vez, o presidente da Federação de Atletismo (FPA), Jorge Vieira, enalteceu que Portugal "conta com os melhores atletas nacionais, que conseguiram colocar os recordes num patamar diferente".

Para o responsável máximo do atletismo em Portugal, o Europeu coletivo de atletismo faz-se de resultados individuais, mas ressalva que o grupo deve ter a "mesma motivação e os mesmos princípios".

"É um momento fundamental e todos são bem-vindos a esta seleção. Disputamos esta prova com outros países e são momentos altos para a modalidade em que os países se comparam num resultado coletivo. O atletismo faz-se de títulos individuais, mas coletivamente devemos estar incluídos na mesma motivação e no mesmo principio", argumentou.

Por fim, o vice-presidente da FPA Paulo Bernardo sublinhou a importância de "voltar a subir de divisão para a Superliga, tal como aconteceu em 2009 e 2011".

A primeira Liga do Campeonato da Europa de equipas terá lugar em Vaasa, na Finlândia, entre sexta-feira e domingo.

Autor: Lusa