Benfica e Vitória de Guimarães abrem este sábado, às 15 horas, a 9.ª edição da Taça Hugo dos Santos. Cerca de duas horas depois, o FC Porto defronta a Oliveirense, na segunda meia-final, decidindo quem estará amanhã na final da competição, que decorre pela primeira vez em Sines. Esta edição recupera o modelo de final-four, depois de nos últimos anos estarem presentes as oito melhores equipas da 1.ª volta da Liga Placard, sistema que a federação decidiu alterar esta temporada.

O Benfica chega a Sines na condição de líder do campeonato e, naturalmente, deseja repetir o êxito da época passada, apesar do tropeção na última jornada, na Luz, diante do Lusitânia, e das possíveis ausências por lesão de dois jogadores fundamentais: Jesse Sanders e Carlos Morais. "Nunca nos desculpamos com as ausências, valorizamos sempre as presenças. Estaremos sempre preparados e vamos entrar em campo para vencer", disse o treinador José Ricardo.

Já a formação vitoriana vem de uma sequência menos positiva na Liga, mas com o Benfica soma um triunfo, em Guimarães, e uma derrota na Luz. Neste tira-teimas, Fernando Sá, treinador dos minhotos, quer que a sua equipa seja "disciplinada, consistente e humilde". "Vamos defrontar uma equipa que, até ao momento tem demonstrado ser a melhor do campeonato", salientou.
O FC Porto, por seu turno, vai defrontar uma formação a quem ainda não venceu esta época. "Acho que o passado nem sempre tem influência no que possa acontecer. Para ganhar, a minha equipa tem de fazer muitas coisas bem", reconhece o treinador Moncho López.

Entretanto, Norberto Alves, técnico da Oliveirense, deixa um aviso. "A Oliveirense não veio a Sines passear. Nesta final-four não há favoritos, quem estiver melhor vence o troféu. Este ano já superámos o FC Porto", recordou, que deve estrear o norte-americano James Ellison. *

Autor: Vítor Ventura