O diretor desportivo da equipa de ciclismo do Boavista, José Santos, afirmou esta sexta-feira que esta "é mais equilibrada" do que a do ano passado, durante a apresentação da mesma, no Estádio do Bessa.

José Santos, que ainda aguarda por um reforço com "bastante experiência", sustentou que, "ao reduzir-se o número de ciclistas por equipa", imposta pela União Ciclista Internacional, o Boavista conseguirá aproximar-se das "equipas mais fortes do pelotão nacional, que são o Sporting e o FC Porto".

"Temos este ano uma equipa mais madura", disse o responsável, sem esquecer os dois ciclistas de 18 anos (Francisco Moreira e João Salgado) que fazem parte da equipa, mas que dificilmente, segundo José Santos, poderão fazer parte do grupo que irá disputar a Volta a Portugal.

A equipa 'axadrezada' é formada por 10, com destaque para o russo Yuri Tromifov, de 34 anos, que foi 10.º classificado na Volta a Itália de 2015 e 14.º na Volta a França de 2014.

"O Trofimov pode discutir as principais coisas em Portugal, se conseguir atingir o nível exibido em anos anteriores", salientou José Santos.

Os restantes ciclistas para este ano são João Benta, Domingos Gonçalves, Filipe Cardoso, David Rodrigues, Luís Gomes, Francisco Moreira, João Salgado, o espanhol Oscar Pellegri e o também russo Egor Silin.

"Falta-nos ainda incluir mais um ciclista, que será alguém com bastante experiência, um todo-o-terreno que dará ainda mais força à equipa. Estamos ainda indecisos entre dois ciclistas portugueses disponíveis, mas que não estão a correr em Portugal", adiantou José Santos, afirmando querer um corredor para o 'sete' principal.

O objetivo é "tentar discutir de igual para igual com o FC Porto e o Sporting a hegemonia nacional".

José Santos acrescentou que o Boavista quer ser "uma equipa que não passe despercebida, ofensiva e, que se não ganhar, possa ser notada".

A equipa obteve o segundo lugar na classificação por equipas da Volta a Portugal de 2017, o que "foi importante".

O diretor desportivo boavisteiro acabou, depois, por dizer que "o objetivo será lutar pela vitória na geral da Volta a Portugal".

"Estamos mais fortes, mas depende muito de como reagem as outras equipas, porque só conseguimos saber se um produto é bom depois de o compararmos com os outros", considerou.

José Santos assinalou ainda que o Boavista reforçou-se um pouco, mas referiu também que "as outras equipas, se calhar, reforçaram-se ainda mais"

Não há ainda um chefe-de-fila claro: "Temos um trio que pode exercer esse papel, mas só depois de ser conhecido o percurso da Volta a Portugal é que podemos dizer quem poderá assumir a chefia da equipa."

Trofimov, João Benta e Domingos Gonçalves são os candidatos a chefiar a equipa boavisteira, segundo José Santos.

João Benta sétimo classificado na Volta a Portugal do ano passado, prometeu "luta" e considerou, em declarações feitas à agência Lusa, que o Boavista tem "uma equipa coesa e com capacidade para fazer frente aos adversários e discutir as provas do calendário".

"Querem de mim mais na Volta a Portugal, eu acredito que é possível e tenho trabalhado a pensar na Volta a Portugal deste ano, mas não vou estar a indicar metas elevadas. Tudo aquilo que seja melhor do que sétimo é bom", afirmou João Benta.

O Boavista anunciou que vai participar em 31 provas, destacando-se entre elas a Volta a Portugal, a Volta às Astúrias, em Espanha, de 29 de maio a 01 de junho, e, em abril, uma corrida em França.

Autor: Lusa