Depois de ter batido o recorde do mundo da maior viagem em kitesurf sem paragens, que ligou Lisboa ao Funchal, agora Francisco Lufinha terá pela frente um desafio ímpar: promete unificar, por mar, os Açores ao continente... num percurso com mais de 1.500 quilómetros!

Na marina de Oeiras, Lufinha apresentou o projeto 'Odyssey', a bordo do barco - uma embarcação à vela e ecológica - que irá acompanhá-lo, a ele e à sua equipa (que conta com um médico, um fisioterapeuta, um fotógrafo e um câmara), nesta travessia de extrema dificuldade. Na viagem, em que terá de enfrentar diversas conjunturas climatéricas e que demorará entre 5 a 10 dias a ser completada, Lufinha terá a parceria da recordista alemã de kitesurf, Anke Brandt, com quem dividirá milhas no Atlântico.

"O vento será o nosso maior adversário, mas a ausência dele também não nos beneficiará porque iria fazer com que ficássemos a boiar. De qualquer das formas, é humanamente impossível fazer esta viagem sozinho. Estar tantos dias no mar, dia e noite, sem parar, é incrivelmente difícil. Eu e a Anke estaremos 8 horas cada um, à vez, dentro de água" disse o kitesurfista luso, confessando que a presença da germânica servirá também para "internacionalizar o evento e dar a conhecer o extenso território marítimo português".

Por sua vez, Anne salientou (em bom português) a dificuldade da prova mas relembra que se trata de um projeto "épico", estando "muito focada" em cumprir o desafio.

Esta autêntica odisseia será a derradeira etapa da iniciativa 'Portugal é Mar', com a qual Lufinha tem como objetivo agrupar o território português por mar e que começa no final de Agosto. Não há dia exato para o arranque pois a dupla está sujeita às previsões do Instituto Hidrográfico da Marinha, não correndo assim o risco de começarem a prova em condições adversas.