A vila de Mira, no distrito de Coimbra, recebeu, no passado sábado, a grande final da 20ª edição dos Campeonatos Internacionais de Columbofilia. Com a organização a cargo da Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC), com o apoio da Câmara Municipal de Mira (CMM) e da Federação Columbófila Internacional (FCI), a prova trouxe centenas de pessoas até ao Columbódromo Internacional Gaspar Vila Nova, num dia em que os pombos-correios foram o centro das atenções.

Na opinião do presidente da FPC, José Luís Jacinto, o balanço desta edição "é positivo". Com 33 nações representadas, o responsável federativo salienta que "foi reconhecida, por todos os países presentes, a organização de excelência da prova de Mira". Um dos elogios veio do presidente da FCI, István Bardos, que, segundo José Luís Jacinto, "deu os parabéns à FPC e afirmou que Mira é uma das melhores organizações, a nível mundial, deste tipo de provas".

A solta final decorreu em Almodôvar, no distrito de Beja, às 7h30. Após um percurso de 330 km até ao Columbódromo, o primeiro ‘atleta’ a chegar, entre os 1.089 que participaram, foi o alado luso com a anilha nº 7410004/17, da equipa portuguesa Cesário & Abílio Pereira. Ao confirmar a entrada às 13:27.40,0h, alcançou o 1º lugar na Liga Nacional dos Campeões. O novo campeão do Mundo é norueguês, nação que também teve o ‘atleta’ que conquistou o FCI Grand Prix. No Campeonato do Mundo Jovens, o título foi para a Roménia. O dia da prova ficou marcado pelas temperaturas elevadas e vento contrário à direção de voo. O coordenador desportivo da FPC, Almerindo Mota, comenta o regresso dos ‘atletas’, "os primeiros pombos chegaram com uma consistência agradável; depois, é lógico que há pombos-correios que tiveram mais dificuldade, pousaram, e acabaram por demorar mais tempo".

Em 2018 a prova regressa a Mira, tendo como destaque o FCI Grand Prix, o Campeonato da Europa e o Campeonato da Europa Jovens. O presidente da FPC espera que "mais pessoas venham assistir à prova final, porque é um momento de convívio para todos os columbófilos e respetivas famílias", ambicionando "ter mais gente a participar na festa da columbofilia portuguesa".