Milhares de pombais portugueses tiveram um sábado agitado com a receção dos ‘atletas’ que participaram na solta que marcou o arranque dos Campeonatos Nacionais de Fundo 2017 (CNFundo2017). A prova, que decorreu no passado dia 20 de maio e é organizada pela Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC), mostrou as qualidades da nossa columbofilia e os atributos do pombo-correio português.

Pelo terceiro ano consecutivo, o município espanhol de Albuixech, localizado na Comunidade Valenciana, voltou a ser o palco do início da maior ‘maratona’ nacional de columbofilia. No apoio à organização estiveram as 14 Associações distritais de columbofilia, as 400 coletividades portuguesas, a Real Federación Colombófila Española e a Federación Colombófila de la Comunidad Valenciana. Mais de 48.000 ‘atletas’ mostraram credenciais, tendo representado na competição perto de 9.000 columbófilos.

Na análise à prova, o coordenador desportivo da FPC, Almerindo Mota, não hesita em afirmar que "o balanço é muito positivo". O responsável destaca a "igualdade, com a exceção de dois ou três distritos, ao nível das médias", como um dos motivos que justifica, "o sucesso, a nível geral, da solta", sublinha.

Almerindo Mota falou com representantes das Associações Distritais e com diversos columbófilos portugueses após a competição. As opiniões que teve foram "boas e, globalmente, as reações à solta são favoráveis", ressalva. O coordenador desportivo realça que, atualmente, e já depois de cinco soltas feitas, em três anos, no mesmo local, "90% dos columbófilos e das Associações aceitam este Campeonato como um grande sucesso".

A nível nacional foram coroados 14 vencedores por distrito nesta primeira prova dos CNFundo 2017. Os campeões nacionais só serão conhecidos depois da segunda solta, marcada para o próximo sábado, dia 17 de junho. Almerindo Mota reconhece que "há distritos que são mais prejudicados, porque os ‘atletas’ têm de percorrer uma distância maior e acabam por ser obrigados a fazer mais tempo de voo sob condições, por vezes, adversas". O êxito de uma prova acaba por ser influenciado pelas condições meteorológicas. O coordenador admite que estes fatores "influenciam o sucesso ou o insucesso de uma solta, independentemente da especialidade da prova", garantindo que, "toda a estrutura federativa está atenta às situações que surgem".

Para o futuro, o responsável deixa a possibilidade de, "após uma análise cuidada, se proceder ao ajuste de alguns pormenores". Almerindo Mota assegura também que estas "são provas para continuar no calendário e na agenda dos columbófilos portugueses".



Novo dia de emoções fortes

A 2ª prova dos CNFundo 2017 decorre, novamente, em Albuixech. As expectativas do coordenador desportivo da FPC, Almerindo Mota, são "elevadas", mas sempre condicionadas por um fator: "Se as condições atmosféricas estiverem relativamente boas, não tenho dúvidas de que a prova de sábado será um sucesso, sobretudo porque temos bons pombos-correio", refere.

O coordenador conta que nos dias da prova nos pombais portugueses "há uma festa de cariz desportivo e social". Garante que "se juntam columbófilos e pessoas que não são praticantes da modalidade para ver chegar os pombos". Para além do convívio, Almerindo Mota, destaca que o mais importante é que "as pessoas se sintam satisfeitas e realizadas, enquanto se divertem a praticar este desporto". 



Para todas as faixas etárias

A columbofilia pode ser praticada por homens e mulheres, não existindo idade mínima ou máxima, para competir. Outra particularidade está no facto de muitos pombais estarem instalados junto às casas onde habitam os columbófilos, fazendo da modalidade motivo de agregação da própria família. Há casos de várias gerações, na mesma família, que fazem todas as atividades relacionadas com a gestão do pombal e da colónia em conjunto. A título de curiosidade o vencedor distrital mais novo foi Abílio Almeida, de 23 anos, de Aveiro. O mais experiente foi António Silva, de 84 anos, no distrito do Porto. 


Autores: Emanuel Pereira