O município espanhol de Albuixech, na província de Valência, volta a acolher uma solta dos Campeonatos Nacionais de Fundo. A prova organizada pela Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC), que conta com o apoio da Real Federación Colombófila Española, das 14 associações distritais de columbofilia e das, aproximadamente, 400 coletividades portuguesas, decorre pelo terceiro ano consecutivo e coloca milhares de pombos-correios a competir nos céus ibéricos.

Cerca de 9.000 columbófilos competem na prova que marca o arranque dos Campeonatos Nacionais de Fundo. Os seus ‘atletas’ percorrem uma distância média de 750 km, em linha reta, perfazendo um total de 8 a 10 horas de voo, até chegarem aos seus pombais em Portugal. Nesta primeira prova estão inscritos 56.807 pombos-correio (50 mil foram encestados), que tentarão mostrar atributos naquela que é a maior solta realizada em solo europeu.

Há vários objetivos inerentes à realização desta competição, como destaca o presidente da FPC, José Luís Jacinto. "O primeiro está relacionado com a vertente desportiva, com o conseguir fazer duas soltas de âmbito nacional, colocando a competir, em simultâneo, milhares de pombos que representam os nossos columbófilos; outra das nossas preocupações passa pela promoção do nosso desporto junto das pessoas que não o conhecem, nem o praticam de forma regular."

O transporte até território espanhol foi assegurado por 14 camiões TIR, devidamente preparados para assegurar todos os cuidados necessários para o bem-estar das aves, nomeadamente ao nível do abeberamento, do controlo da temperatura interior e da alimentação. O encestamento – registo informático das anilhas oficiais (equivalente, na realidade humana, ao Cartão de Cidadão) e do microchip dos pombos, de cada columbófilo, que vão participar na prova - decorreu na passada quinta-feira, nas sedes dos clubes columbófilos. Os ‘atletas’ representam 14 distritos e prometem animar o país de Norte a Sul.

O presidente da FPC, José Luís Jacinto, espera que este sábado "seja um dia de festa e de celebração das qualidades dos pombos-correios, ao mesmo tempo em que se cria, nos diversos pombais portugueses, um espaço de convívio entre os columbófilos, os seus familiares, amigos e vizinhos". O responsável sublinha que "só assim é possível atrair mais praticantes para este desporto que é universal, no sentido em que todos o podem praticar, não tem idade, sexo ou género".

A segunda prova está marcada para 17 de junho. As duas soltas estão inseridas nos Campeonatos da Especialidade de Fundo. Os resultados contam para a classificação geral das Coletividades e Associações e para o Campeonato Nacional de Fundo.

Previsões do tempo são essenciais

A FPC dispõe de um serviço de apoio meteorológico. A cargo de Fernando Garrido, diariamente são elaboradas previsões para os locais de solta e chegada, bem como para as diferentes rotas do percurso. A antevisão das condições é essencial para a boa prática da modalidade. O principal objetivo do seu trabalho é "a proteção e defesa do pombo-correio, diminuindo, ao máximo, os riscos", destaca o responsável.