Record

Assinatura Digital Premium Saiba mais

WRC Rali de Itália: as melhores imagens do duelo Neuville-Ogier na Sardenha

Segundo sucesso consecutivo do belga

Thierry Neuville (Hyundai) venceu o Rali de Itália, sétima das 13 provas do calendário. Foi o segundo sucesso consecutivo do belga, que ganhou o Rali de Portugal e já soma três triunfos, tantos como Sébastien Loeb.

Os dois pilotos travaram um duelo empolgante, que só terminou no último dos 20 troços cronometrados e por uma diferença impensável: uns meros 0,7 segundos, depois de 313,46 km disputados ao cronómetro.

1ª ETAPA - Sébastien Ogier (Ford Fiesta WRC) foi o mais rápido na passagem pela Ittiri Arena, o troço espectáculo que marcou o início do Rali de Itália, mas quando chegaram as primeiras classificativas, Andreas Mikkelsen (Hyundai i20 WRC) entrou ao ataque e na passagem por Tula 1 e Castelsardo 1 construiu uma vantagem de 15.5 s sobre o seu companheiro Thierry Neuville. Elfyn Evans (Ford Fiesta WRC) bateu num talude, partiu um braço da direcção e perdeu 13 minutos.

Os Ford de Ott Tanak e Sébastien Ogier puseram fim ao domínio do piloto da Hyundai ao registarem os melhores tempos em Osilo 1 e Monte Baranta 1, os dois últimos troços da primeira ronda. Na classificação geral Mikkelsen contava com 14s de avanço sobre Neuville e 16,4s face a Ott Tanak.

Nos 22,1 Km de Tulla 2, percorridos debaixo de uma chuva persistente, Ogier mostrou que era preciso contar com ele. Foi o mais rápido e aproveitou os 26s perdidos por Mikkelsen, devido a problemas de caixa de velocidades, e subiu ao primeiro lugar da geral com 3,5s de avanço sobre o norueguês, 8,5s face a Neuville e 8,6s relativamente a Tanak.

Na segunda passagem por Castelsardo, Suninen (Ford Fiesta RS) foi o mais rápido. Bateu Ogier por 1,9 s mas o francês dilatou a vantagem para 10,9s sobre Neuville. Ott Tanak surgia a 15s. O belga da Hyundai atacou na passagem por Osilo 2, mas apenas ganhou 0,4s a Ogier.

O derradeiro troço da Etapa – Monte Baranta 2 – ficou marcado pelos abandonos de Ott Tanak e Teemu Suninen (Ford Fiesta WRC). O estónio que ocupava o terceiro lugar da geral danificou o radiador na aterragem de um salto e o finlandês saiu de estrada.

Os Toyota Yaris WRC de Latvala e Lappi garantiram os melhores tempos à frente de Ogier, que, graças a uma ligeira saída de estrada que custou 10 segundos a Neuville, viu a sua vantagem subir para 18,9 segundos. A ponta final dos finlandeses da Toyota valeu a conquista do terceiro e quarto lugares da classificação.

2ª ETAPA – A vantagem do penta-campeão do mundo chegou aos 19,5 s, mas na passagem por Monte Lerno 1 (PC 12) perdeu 14,6 s para Neuville, e no final do terceiro dos sete troços da segunda etapa apenas havia 4,9s de diferença entre os dois primeiros classificados. Os Toyota de Latvala e Lappi já estavam a 41,1s e 48,1s, respectivamente, e o Hyundai de Paddon surgia a 1m10,1s.

Os 1,42 km do troço espectáculo de Cittá di Ittiri pareciam irrelevantes, mas Ogier voltou a perder terreno e a diferença reduziu-se para 2,9s, ao mesmo tempo que a vitória de Lappi permitiu a aproximação ao terceiro lugar ocupado por Latvala.

Coliluna 2, o primeiro dos três troços da segunda parte da Etapa, era importante na luta pela liderança e, se Ogier foi o mais rápido, Neuville teve um furo perto do final. Perdeu 3,9s e a diferença entre os dois subiu para 6,8s.

Mas houve mais motivos de interesse: Latvala e Lappi, os dois pilotos da Toyota, discutiam o terceiro lugar da geral separados por 4,5s, e o quinto lugar tinha como pretendentes Hayden Paddon (Hyundai i20 WRC) e Mads Ostber (Citroën C3 WRC), afastados por 5,5s.

Os dois últimos troços da etapa foram marcados pelo duelo Ogier/Neuville, os dois maiores candidatos ao título de pilotos. O belga da Hyundai ganhou 2.5s nos 28,52 km de Monti D´Ala 2 e reduziu o atraso para 4.3s, abrindo grandes expectativas para a segunda passagem por Monte Lerno onde o campeão do mundo perdera muito terreno na passagem inicial.

A derradeira classificativa do dia foi emocionante, mesmo antes de se chegar à questão da liderança. O Citroen de Ostberg ganhou meio segundo ao Hyundai de Paddon, mas o australiano manteve o quinto lugar. Latvala foi 3,7s mais rápido do que Lappi e salvou a terceira posição e, na questão da liderança, Neuville ganhou 0,4s a Ogier. Manteve o segundo lugar mas deixou em aberto a luta pela vitória.

No final da segunda etapa, Ogier contava com 3,9s de vantagem sobre Neuville. Latvala foi obrigado a desistir após a derradeira classificativa, deixando Lappi no terceiro lugar. Mas a luta  pelo quinto lugar estava em aberto com o Hyundai de Paddon e o Citroën de Ostberg, separados por 2,1s.

3ª ETAPA – As duas passagens por Cala Flumini (14,06 km) e Sassari-Argentieri (6,96 km) foram o tira-teimas. Os derradeiros 42 km cronometrados tinham que decidir o vencedor do Rali de Itália.

A derradeira etapa começou como tinha terminado a anterior: Neuville ao ataque e Ogier a tentar defender-se. Na primeira passagem por Cala Flumini, o belga conquistou mais 0,8s e a vantagem do francês desceu para 3,1s, e a história repetiu-se em Sassari-Argentieri onde em 6,96 km, Neuville ganhou 1,8s, ficando a 1,3s do primeiro lugar. Na primeira passagem pelos dois troços, Paddon ganhou tempo a Ostberg na corrida pelo quarto lugar da geral.

Na segunda passagem por Cala Flumini, a diferença entre os dois primeiros caiu para 0,8s. Sassari-Argentieri passou a ser a finalíssima do rali da Córsega, para além de ser também a super-especial, valendo pontos para o campeonato.

Foi uma luta de campeões. Neuville foi o mais rápido, ganhou 1,4s e venceu o rali de Itália com apenas 0,7s de vantagem sobre o penta-campeão do mundo.

Classificação final

1º Thierry Neuville/N. Gilsoul, Hyundai i20 WRC – 3h 29m 18,7s

2º Sébastien Ogier/J. Ingrassia, Ford Fiesta WRC – +0,7s

3º Esapekka Lappi/J. Ferm, Toyota Yaris WRC – +1m 53,6s

4º Hayden Paddon/S. Marshal, Hyundai i20 WRC – +2m 55,2s

5º Mads Ostberg/T. Eriksen, Citroën C3 WRC – +3m 10,9s

6º Craig Breen/S. Martin, Citroën C3 WRC – +4m 31,7s

7º Jari-Matti Latvala/M. Antilla, Toyota Yaris WRC - +11m 22,1s

8º Ott Tanak/M. Jarveoja, Toyota Yaris WRC - +12m 38,2s

9º J. Kopecky/P. Dresler, Skoda Fabia R5 WRC2 - +13m 14,6s

10º Teemu Suninen/M. Markkula, Ford Fiesta RS – +15m 30,4s

"MUNDIAL" DE EQUIPAS – 1º Hyundai, 212 pontos; 2º M-Sport Ford, 184; 3º Toyota Gadzoo, 161; 4º Citroën Total Abu Dhabi WRT, 129; etc.

"MUNDIAL" DE PILOTOS – 1º Thierry Neuville, 149; 2º Sébastien Ogier, 122 pontos; 3º Ott Tanak, 79; 4º Esapekka Lappi, 70; 5º Dani Sordo, 60; 6º Andreas Mikkelsen, 56; 5º Dani Sordo, 45; 6º Kris Meeke, 43; 7º Elfyn Evans, 46; 8º Kris Meeke, 43; 9º  Jari-Matti Latvala, 37;10º Craig Breen, 34; 11º Mads Ostberg, 26;12 Teemu Suninen, 24; 13º Hayden Paddon, 22; 14º Sébastien Loen, 15; etc.

Aquela Máquina

Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Modalidades

Notícias

Notícias Mais Vistas

M M