O selecionador português de futebol de praia, Mário Narciso, garantiu este domingo que jamais duvidou da conquista da medalha de bronze nos Jogos Europeus, em Baku, mesmo quando Portugal permitiu a reviravolta à Suíça.

"Não, não, não. Nunca tive dúvidas de que a equipa iria reagir. Como disse, eles física e mentalmente estão muito fortes e eu nunca tive dúvidas. Ainda faltavam sete minutos e tal e isso é muito tempo no futebol de praia. Nunca tive dúvidas de que iriamos discutir o resultado até ao final", vincou o técnico, após os 6-5.

Mário Narciso admitiu que o metal desejado era outro: "Sim, não era a que queríamos. Nivelamos sempre as coisas por cima, até pelo valor dos nossos jogadores. Mas, pronto, foi a medalha possível. De qualquer maneira é uma medalha que nos orgulha bastante".

O técnico recorda que Portugal termina a prova com apenas uma derrota, na sua opinião, imerecida, contra a Rússia, campeã mundial, nas meias-finais (2-1), lembrando que até os finalistas chegaram ao jogo decisivo com um desafio perdido.

"Foi uma boa campanha e boa preparação para o Mundial que se aproxima. Temos uma equipa recheada de bons jogadores - embora as outras equipas também - e estamos a jogar em casa. Queremos ganhar. Vamos com essa vontade. Vamos ver o que dá. Vontade não nos falta", afiançou.

Mário Narciso considerou ainda que a qualidade da competição em Baku foi uma "boa propaganda" para a modalidade.

Portugal termina os Jogos Europeus com 10 medalhas, após as conquistas de ouro de Telma Monteiro, no judo, de Rui Bragança, no taekwondo, e de Marcos Freitas, Tiago Apolónia e João Geraldo, no torneio de ténis de mesa por equipas.

A prata surgiu com João Silva, no triatlo, João Costa, no tiro, e Fernando Pimenta em K1 1.000 e 5.000 metros, na canoagem, enquanto Júlio Ferreira, no taekwondo, a dupla composta por Beatriz Martins e Ana Rente, nos trampolins sincronizados, e a seleção de futebol de praia amealharam bronze.