Portugal despediu-se este domingo dos Jogos Olímpicos Rio'2016 com os piores resultados na maratona masculina e com as eliminações dos ciclistas Tiago Ferreira e David Rosa no cross coutry olímpico (XCO).

Na maratona masculina, Rui Pedro Silva e Ricardo Ribas chegaram ao Sambódromo nos 123.º e 134.º lugares, respetivamente, naquela que foi a pior prestação na distância de portugueses que tenham terminado a prova.

Rui Pedro Silva gastou 2:30.52 horas e Ricardo Ribas precisou de 2:38.29, marcas muito longe dos recordes pessoais e inferiores à conseguida por Dulce Félix, 16.ª na maratona feminina (2:30.39). Ambos os maratonistas reconheceram um enorme sofrimento ao longo dos 42,195 quilómetros, num dia mau, reconhecendo que, apesar das dificuldades, quiseram chegar ao final da prova.

O queniano Eliud Kipchoge conquistou o título olímpico, ao vencer a prova em 2:08.44 horas, superando em 1.10 minutos o etíope Feyisa Lilesa (2:09.54), medalha de prata, e em 1.21 o norte-americano Galen Rupp (2:10.05), medalha de bronze.

No cross country olímpico, vertente do BTT, David Rosa não conseguiu repetir o 23.º lugar em Londres'2012, acabando por ficar afastado antes de completar a segunda das sete voltas. Com a roda traseira partida, foi vítima da regra dos 80%.

O estreante Tiago Ferreira, campeão mundial de maratonas BTT, ficou igualmente pelo caminho, na quinta volta, depois de ter sido mandado encostar também com base na regra que determina o afastamento dos corredores com atraso superior a 80% do tempo feito pelo líder na primeira volta.

O suíço Nino Schurter conquistou a medalha de ouro, à frente do campeão de Londres'2012, o checo Jaroslav Kulhavy, enquanto o espanhol Carlos Coloma foi medalha de bronze.

Autor: Lusa