O Dakar é fértil em incidentes, mas esta edição de 2018 está demais. Em particular nos automóveis, mas as motos também não escapam às grandes mudanças. Stephane Peterhansel usufruía de uma boa vantagem e seguramente não tinha necessidade de atacar e de ultrapassar os seus limites. E estou certo que não terá sido por isso que teve o percalço que o obrigou a perder quase duas horas. Mas este rally está repleto de armadilhas e esta derradeira semana promete ter ainda muito para contar.

Já nas duas rodas a recuperação de Joan Barreda poderia indicar que estava mais uma vez a caminho da vitória, mas mais uma vez parece que vai ficar pelo caminho. O próprio o disse depois de uma queda que o deixou muito maltratado. Mesmo assim ganhou a etapa.


A análise de Miguel Barbosa

A análise de Miguel Barbosa


Autores: Miguel Barbosa