O CDUL e a Agronomia reeditam esta tarde, no Jamor, a final do campeonato mas, desta feita, na Supertaça. Os universitários levaram a melhor no último jogo, por 25-21, com um ensaio na ‘bola de jogo’ e os agrónomos procuram tirar a desforra desse momento que deitou por terra as suas aspirações.

Independentemente do desfecho, uma coisa é certa: não terá um árbitro oficial a testemunhar. A federação esteve ontem em negociações com a ANAR, mas o acordo voltou a não ser alcançado, com as propostas federativas, mais uma vez, a esbarrarem na intransigência dos árbitros, que exigem receber todos os prémios e despesas em falta relativos à época passada. À semelhança do que aconteceu na ronda inaugural do campeonato, os delegados dos clubes terão de convidar alguém da bancada que concordem habilitado para apitar.

Antes da Supertaça masculina terá lugar a final four feminina – Sporting-Agrária e Benfica-SC Porto – e a Supertaça sub-18 entre Belenenses e Direito.


Autor: Sérgio Lopes