Boris Becker, antigo nº 1 do ranking mundial de ténis e uma das personalidades desportivas mais importantes da Alemanha, tem uma dívida estimada em 62 milhões de euros. Mais de metade desse valor é reclamado pelo empresário Hans-Dieter Cleven, diretor do Metro Group, e antigo sócio do alemão.

Segundo a revista ‘Bunte’, Becker, que declarou falência durante o verão, tem uma dívida cerca de cinco vezes superior ao que o germânico ganhou enquanto jogador profissional.

A imprensa alemã conta que o tribunal fez uma avaliação detalhada dos bens de Becker e refere mesmo que a penhora já terá ficado com quatro relógios do ex-tenista, com valor a rondar os 40 mil euros.

Emprego na federação

Não se pode sequer dizer que os problemas financeiros de Boris Becker sejam por falta de notoriedade... ou trabalho. O alemão de 49 anos treinou o sérvio Novak Djokovic entre 2014 e 2016 (pago a peso de ouro) e desempenha atualmente a dupla função de comentador no Eurosport alemão e diretor técnico do ténis masculino alemão, desde agosto.

Becker esteve recentemente em Portugal, a acompanhar o playoff da Taça Davis, em que a Alemanha bateu Portugal, e recusou-se sempre a responder a qualquer questão que lhe foi colocada pela imprensa do seu país sobre os seus problemas financeiros.


Autor: José Morgado