Roger Federer não quer estabelecer compromissos para a temporada de terra batida, que começa em abril e se estende até junho, mas já anunciou que irá disputar menos torneios.

Manter intactas as suas capacidades físicas é o objetivo daquele que é considerado o melhor jogador de sempre. Aos 35 anos, obteve mais um recorde ao ser o mais velho a ganhar um torneio da categoria Masters 1.000 em Indian Wells, EUA, batendo Stan Wawrinka na final.

"O que eu quero é viajar menos e não ir a muitos torneios simplesmente para cumprir calendário e não ter aspirações. Não foi por essa razão que quis continuar a jogar com esta idade", explicou Federer em Indian Wells, antes de embarcar para Miami, onde amanhã começa outro evento Masters 1.000. Isento da 1ª ronda, defronta a seguir o vencedor do encontro entre um qualifier e o russo Konstantin Kravchuk.

O suíço quis deixar bem claro que tem uma grande vontade em competir, mas isso pressupõe uma condição: "Quero que vejam o verdadeiro Federer, que está feliz dentro de campo. Esta foi uma promessa que fiz a mim mesmo e esta é a minha forma de pensar", assinalou o vencedor de 90 títulos na carreira.

Abordando a perspetiva de chegar às 100 vitórias, o helvético, que esta semana ascendeu do 10º para o 6º lugar na lista ATP, referiu que esse não é o seu objetivo. "Há uns meses a minha única ideia era recuperar e disputar 10 torneios num ano. Vamos ver como estão as coisas daqui a seis meses", esclareceu Federer que rejeita a ideia de voltar a ser líder mundial.

"A classificação não é uma prioridade. O que quero é ter saúde e jogar ténis de forma a poder entrar na discussão pelos títulos", sublinhou Federer.

Autor: Norberto Santos