"Já conquistei várias vezes a Supertaça, mas desta vez a vitória do Sp. Espinho é algo muito especial", comentou Roberto Reis a Record.

O antigo jogador do Benfica regressou este ano aos tigres e considera que o bom ambiente tornou as coisas mais simples. "É um grupo fantástico, acima da média, e só assim se compreende o sentido de entreajuda numa equipa que está a ser refeita", frisou o veterano jogador, de 37 anos.

"Enquanto o Benfica manteve o seu núcleo duro e as suas rotinas, o Sp. Espinho foi obrigado a ter de alterar os seus hábitos. Saiu metade da equipa e tiveram de ser criadas outras soluções em termos de jogo. Por isso, a vitória na Supertaça traduz algo muito especial", frisou o zona 4, lembrando que a turma espinhense nunca perdeu o sentido da vitória.

"Nem quero entrar na questão dos orçamentos, mas o Benfica tem mais opções no seu plantel. O Hugo Gaspar, o André Lopes, o Ivo Casas, o Tiago Violas e o Flávio Soares continuaram na Luz; trata-se, sem dúvida, de uma equipa habituada a conquistar títulos. Nós só tínhamos de tentar contrariar essa vantagem do Benfica", disse Roberto Reis, que atribuiu à equipa técnica, liderada por Rui Pedro, um papel muito importante: "Cada jogador do Sp. Espinho sabia o que tinha a fazer e este jogo frente ao Benfica foi muito bem preparado e assimilado por todos. A nossa equipa é mais baixa e tínhamos de ter outras soluções. Fomos à procura de um sistema de jogo de acordo com as nossas características. E ganhámos, que foi o mais importante", acentuou.


Autor: Norberto Santos