O interesse do Milan na contratação de Cristiano Ronaldo não conseguiu passar da categoria de rumor, apesar de ter sido avançado pela Sky Sport, com dados que davam sustentação à possibilidade. Dois meses e meio depois, um dos envolvidos confirmou que fez mesmo aquela pergunta a Jorge Mendes, que visitou na Sardenha onde este estava a passar férias para falar sobre Renato Sanches.

Mas há mais, pois ao contrário do que foi noticiado pela estação de televisão italiana, Massimo Mirabelli estava mesmo a falar a sério sobre o tema e não apenas a 'picar' o agente do internacional português, como foi sugerido.

"O [Mino] Raiola não acredita no nosso projeto? Ele não passa de um ator menor. Gosta de dizer coisas para fazer manchetes dos jornais", começou por dizer Mirabelli, o diretor desportivo do Milan que visitou Mendes acompanhado pelo administrador delegado Marco Fassone no final de julho, em declarações à Radio Rossonera, prosseguindo nas revelações em relação a negociações que levou a cabo no decurso do último mercado de transferências:

"Sobre [Andrea] Belotti [avançado do Torino] digo que o tínhamos garantido, mas era complicado concretizar a operação por diversos motivos - no entanto, ele torce pelo Milan e quem sabe se um dia não virá para cá. Em relação a [Antonio] Conte [treinador do Chelsea]? Temos o [Vincenzo] Montella." 

"Quanto à conversa de Cristiano Ronaldo... ?com o ?Mendes, que está entre os melhores agentes do Mundo, falámos sobre muitas coisas, mas sempre com os pés na Terra. O Cristiano Ronaldo não é apenas um jogador de futebol, é uma empresa, uma marca - e não se deixa 'domar', nem nunca está satisfeito. É uma referência de topo para os mais jovens", adiantou Mirabelli, explicando o enquadramento que a adminstração do Milan tinha para o extremo que na altura estaria a ponderar se continuava a jogar em Espanha, ao serviço do Real Madrid, onde enfrenta um processo por alegada fuga aos impostos.