Neymar confessa ser admirador de Ronaldo, com quem se irá encontrar nos ‘oitavos’ da Champions. "Respeito bastante o Cristiano pelo que fez no futebol, revejo-me muito nele. Está há dez anos no topo com o Messi. Será uma honra defrontá-lo! Mas o Real Madrid não é apenas o Ronaldo, tem jogadores de muita qualidade", disse ontem o brasileiro, após a goleada (4-0) do PSG ao Montpellier.

O craque coloca os ‘pontos nos is’ em relação ao facto de o seu nome surgir amiúde na rota do Real Madrid. "A transferência? Isso é especulação! Estou tranquilo no PSG, sinto-me feliz em Paris. Estou contente com os colegas. Estou satisfeito com os golos e as exibições. Estou aqui para fazer história, mas há de sempre existir especulação. Em todas as janelas de transferências existe sempre algo com o meu nome. O que é que posso fazer? [risos]", anotou Neymar, não aparentando estar obcecado com a Bola de Ouro: "Antes de ser o melhor do Mundo quero conquistar a Ligue 1, a Taça da Liga, a Taça de França e a Champions. Foi para isso que vim para aqui! Os prémios individuais surgirão depois com naturalidade..."

Boa relação com Cavani
Neymar desvaloriza a polémica dos penáltis, desmentindo até a alegada má relação com Cavani. "O treinador decidiu que seria eu a bater os penáltis e não existiu qualquer polémica entre nós. Claro que sabia que o Cavani estava à beira de se tornar o melhor marcador da história do PSG. Até torci para que ele ultrapassasse o recorde que partilhava com o Ibrahimovic, o que acabou por se verificar hoje. Assumo sempre as minhas responsabilidades, nunca me irei esconder!", avisou Neymar, minimizando a importância das vaias que a ele têm sido dirigidas pelos adeptos em vários jogos: "Claro que fiquei aborrecido com os assobios no desafio com o Dijon [vitória por 8-0 a 17 de janeiro]. Mas a vida de um jogador é assim... ser vaiado um dia e aplaudido no outro."

Autor: Marco Martins