Saída de campo

António Magalhães

António Magalhães

Diretor
António Magalhães

O jogo da mala

Nada de juízos precipitados. O título deste texto resulta de uma declaração de Jesus, quando ontem lhe foi perguntado se tinha a mala feita até sábado, dia da final da Taça CTT. O treinador reconheceu estar preparado para ficar em Braga, algo que Sérgio Conceição, por estar tão próximo de casa, não precisa de fazer, independentemente do resultado que, seja qual for, determinará a primeira derrota de um deles em competições nacionais. Vai doer.

Por obra e graça do que aconteceu no último minuto de jogo que o Sporting fez no Bonfim, é o FC Porto quem aparece em ‘vantagem moral’. O dragão capitalizou a ‘desgraça’ leonina e reencontra o rival com o estatuto de líder da Liga. Está, pois, mais animado e, de acordo com as análises da maioria dos comentadores, com ‘mais futebol’ para ganhar o jogo. Terá de provar essa teoria.

Ambição, amizade e respeito foram sentimentos que Jesus e Conceição transmitiram no pré-jogo. É um sinal reconfortante para um jogo de alto risco e alta tensão.

O V. Setúbal já ‘lá está’. É um regresso a uma decisão que em 2007/08 sorriu aos sadinos na primeira edição da prova e às custas do Sporting. Palmas para a Oliveirense, que fez a vida negra ao Vitória. Valeu o golo de Paciência e os postes providenciais.

24.01.2018
M M