Saída de campo

António Magalhães

António Magalhães

Diretor
António Magalhães

Ano novo eterno dérbi

No meio de um clima de grande conflitualidade (o que, convenhamos, é uma versão ‘soft’ do atual e verdadeiro estado da nação futebolística), joga-se esta noite (a horas completamente inapropriadas) o Benfica-Sporting que, não sendo determinante para as contas finais do campeonato, adquire grande importância, designadamente para o tetracampeão. Uma derrota será sempre mais penalizadora para a águia do que para o leão. No entanto, um triunfo colocará os encarnados em igualdade pontual com os rivais. Ou seja, está tudo em aberto nesta corrida à qual se junta o FC Porto e que promete ser duradoira e intensa. Acima de tudo, deseja-se que esta noite a Luz seja palco de um grande jogo. Tenho a absoluta convicção que as duas equipas corresponderão à máxima exigência que um dérbi impõe.

Ponho as mãos no fogo pelos jornalistas que dirijo. Nesta redação, não há ninguém à venda. Não há cartilheiros nem gente cujo caráter se presta a atraiçoar valores e princípios que nesta casa são inalienáveis. Atesto a probidade dos profissionais do Record e, hoje, muito particularmente, daqueles que ontem foram envolvidos numa calúnia abominável que resultou em vis suspeitas e gravíssimas insinuações. Mais do que nunca, eles merecem da minha parte não apenas total confiança como profunda admiração.

03.01.2018
M M