Entrada em campo

António Magalhães

António Magalhães

Diretor
António Magalhães

Garantias e avais nos bancos

A vitória frente ao V. Guimarães não só garantiu ao Benfica a celebração do campeonato como também permite agora a Rui Vitória fazer campeões todos os jogadores. Paulo Lopes está há cinco épocas no Benfica mas não se junta à elite tetra (Luisão, Jardel, Almeida, Fejsa e Salvio) porque numa delas não contabilizou qualquer minuto no campeonato. O contributo do guarda-redes de 38 anos tem sido menor do que o dos companheiros, mas fazer parte de uma equipa também é isto: ajudar a ganhar mesmo sem jogar. Paulo Lopes tem, assim, a sua recompensa, tal como Hermes, Pedro Pereira e Kalaica, o que muito provavelmente não aconteceria se o título ainda estivesse em aberto.

Fechada está a porta de saída para Jorge Jesus. Pelo menos por enquanto a avaliar pelas sucessivas juras de amor que presidente e treinador têm sido obrigados a fazer publicamente. As notícias sobre a continuidade de JJ têm andado entre o nim e o sim. A informação parece brotar ao ritmo de alguns humores (ou mesmo estratégias) e daí toda a incerteza que se criou sobre o futuro de Jesus. Natural, por isso, a necessidade de pôr os pontos nos ii. Para já, ficamos assim.

Nuno Espírito Santo também falou e sentenciou: o contrato é para cumprir. O técnico pronunciou-se sobre o futuro sem hesitações e voltou a fazer a promessa de devolver o FC Porto às grandes conquistas. Perante tanta convicção, fica difícil alimentar especulações sobre a eventual saída de NES. Ainda assim, fica a faltar o aval de Pinto da Costa.

Em Inglaterra tomou-se uma boa decisão: na próxima época, as simulações serão penalizadas com jogos de castigo. Mais uma medida para contribuir para o jogo limpo e tornar menos complicada a vida dos árbitros. O futebol evolui.

20.05.2017
M M