Saída de campo

António Magalhães

António Magalhães

Diretor
António Magalhães

Mandamentos de Jesus

Com muito ou pouco brilho, o essencial para o Sporting é conquistar títulos. Já foram muitos anos em que os leões se vangloriavam da qualidade e do talento dos seus sem que disso tirassem proveito, salvo uma sensação de vantagem moral que, ao fim do dia, se traduzia por mágoa e dor.

Jesus não se cansa de dizer que foi para o Sporting para recuperar a veia conquistadora de um clube que nas últimas décadas apenas conseguiu quebrar ciclos de jejum sem criar uma dinâmica de vitória regular e consistente. Cumprir o que prometeu é o grande mandamento de Jesus e isso não se faz de um dia para o outro como não se satisfaz com uma taça erguida de quando em vez. Por isso, a Taça CTT tem de representar mais do que uma conquista pontual. Deve ser um ponto de partida.

A relevância do triunfo do Sporting em circunstância alguma pode ser menorizada, mas também não deve iludir ninguém. Isto é, os sportinguistas – todos! E entre eles, ou sobretudo eles, jogadores, treinadores, passando por dirigentes e adeptos – devem ter a consciência de que a Taça CTT esteve perto de ir para Setúbal e, portanto, a sobranceria e o convencimento são não apenas desadequados e evitáveis como também não se combatem com meras palavras de circunstância. Todos sabem como se faz: continuando a ganhar.

28.01.2018
M M