Visão de jogo

António Oliveira

António Oliveira

António Oliveira

Nas mãos de Jesus

Não deixa de ser uma ironia do destino. O timoneiro que iniciou a atual caminhada vitoriosa do Benfica na liga portuguesa (conquistando os primeiros 2 títulos) terá na próxima jornada a oportunidade de impedir o anterior clube de dar um passo decisivo para o tetra. O Sporting de Jorge Jesus, que tem vindo a recuperar terreno face ao duo da frente, surge nesta altura como um outsider que nada tem a perder e, quem sabe, se algo ainda a ganhar. Seja qual for o desfecho, o dérbi lisboeta será um momento marcante deste campeonato.

Com o deslize do FC Porto em Braga, o Benfica olha agora para o dérbi com a possibilidade de jogar com 2 resultados do seu agrado. Ganhar o jogo de maior exigência competitiva que lhe falta nesta liga será um passo de gigante na corrida ao título, enquanto um empate manterá as águias no 1.º posto e na liderança isolada, sendo a única equipa a depender apenas de si para ser campeã.

Por seu turno, o Sporting, que nas últimas jornadas conseguiu recuperar 4 e 6 pontos relativamente a águias e dragões, em caso de vitória amanhã, pode entrar nesta reta final de campeonato, em que faltarão disputar 4 jornadas, apenas a 5 pontos da liderança. E de repente, uma equipa que parecia ter a sua classificação fixada na 3.ª posição poderá ficar com a ambição e esperança de conseguir algo mais acima.

O Sporting atravessa um ciclo de 9 jogos consecutivos sem perder (8 vitórias e um empate), vai já na 5.ª vitória seguida e, caso vença os jogos todos até ao fim, poderá mesmo completar o melhor ciclo de vitórias durante esta temporada na liga portuguesa: 10. Além disso, os leões continuam empenhados em levar Bas Dost ao trono dos goleadores na Europa, pelo têm todo o interesse continuar a faturar.

Curiosamente, a história recente dos dérbis de Alvalade tem sido mais favorável aos encarnados. Foi lá que viraram o curso do campeonato anterior, com uma vitória por 1-0. E nos últimos 4 anos, somam mesmo 2 vitórias e 2 empates no terreno do rival. Alargando o horizonte para a última década, só se contabilizam 2 vitórias do Sporting em 10 jogos (mais 4 empates e 4 derrotas), o que mostra as dificuldades que os leões sentem contra o grande rival lisboeta. Rui Vitória sabe que um resultado positivo neste jogo pode trazer força anímica vital para as finais que se seguirão.

Será sempre um jogo de tripla. Cheio de emoções fortes. Com cada um dos lados a dispor de argumentos para poder fazer a diferença. A luta, mais uma vez, promete ser intensa. Nos bancos, o duelo tático vai ser também interessante, por todo o histórico que existe entre os treinadores. E há também uma espécie de tira-teimas do jogo da primeira volta que o Benfica venceu, mas do qual o Sporting não saiu convencido e até queixoso de outros fatores.

Obrigado a cumprir a sua parte, que passa por superar o Feirense no domingo, o FC Porto será espectador atento do dérbi. O desfecho da partida ditará os níveis de favoritismo que os dragões terão nesta ponta final. Uma eventual vitória do Sporting pode valer a liderança, pelo que não é difícil prever por quem vão estar a torcer.

Anteriormente referi que a equipa que revelar maior controlo emocional e souber lidar melhor com a ansiedade na abordagem aos jogos acabará por sair vencedora desta liga. A jovem equipa do FC Porto, com 1 vitória nos últimos 4 jogos, não tem dado essa prova de força. Em alguns jogos, o Benfica também não convenceu. Têm agora 5 partidas cruciais para provar o contrário.



O Craque – Renovação merecida
A aposta nas equipas B abriu a porta para um patamar competitivo mais alto a muitos jovens futebolistas que, de outro modo, teriam grandes dificuldades em se afirmarem nos principais clubes nacionais. Em paralelo, as seleções jovens souberam aproveitar esse potencial de crescimento para gerarem equipas mais maduras e consolidadas. O trabalho está à vista com a Seleção sub-21, bem comandada por Rui Jorge, a mostrar consistência e excelentes resultados. Há que continuar o trajeto e a renovação do técnico com a FPF é inteiramente merecida.

A Jogada – Excelente trabalho
Já tinha provado no Sporting que era especialista a detetar e potenciar novos talentos e está a mostrar à Europa que é possível ter sucesso desta forma no Mónaco. A lutar pelo título francês e nas meias-finais da Liga dos Campeões, Leonardo Jardim está a realizar uma época fenomenal. No último jogo colocou 7 jogadores titulares com menos de 25 anos. Talento não tem idade. E um bom técnico faz crescer os atletas com organização tática, maturidade e exponencia capacidades individuais. Com este brilharete, Jardim despertou a cobiça dos grandes clubes europeus.

A Dúvida – Castigo mal esclarecido
Um dos melhores jogadores do campeonato vai ficar fora dos relvados com um castigo de 2 jogos em plena fase decisiva. A pena até se pode justificar, mas a falta de elementos conclusivos do que verdadeiramente aconteceu na expulsão de Brahimi em Braga, assim como o suposto comportamento do quarto árbitro nas redes sociais, obrigam a esclarecimentos. E a FPF deveria evitar que este clima de suspeição se alastre, vindo a público explicar toda a situação. A justiça deve ser aplicada, mas sempre com máxima transparência. Para quê tanto secretismo?

20.04.2017
M M