Record

Assinatura Digital Premium Saiba mais

Visão de jogo

António Oliveira
António Oliveira

Um jogador especial

A chegada de Iker Casillas ao futebol português em 2015 surpreendeu meio mundo. Um dos melhores guarda-redes do século XXI, campeão mundial e europeu, com um palmarés recheado de conquistas, optou pelo FC Porto para prosseguir uma carreira que, até então, tinha sido realizada ao serviço de um clube: o Real Madrid. O guardião espanhol representa um enorme esforço financeiro para os dragões, mas a aposta foi importante a vários níveis, sobretudo o desportivo.

Os últimos anos de Casillas ao serviço do Real Madrid foram complicados. Muitos diziam que estava "acabado" e já não apresentava o mesmo nível de outrora, outros acusavam-no de criar problemas no balneário merengue. E embora continuasse a ser um dos grandes ídolos dos adeptos madrilenos, a verdade é que a sua saída acabou por acontecer.

A vinda para um novo clube e um país diferente deu-lhe a possibilidade de continuar a fazer o que mais gosta, sem o "dedo acusatório" que estava a ter em Espanha. E a verdade é que, ao longo de 3 temporadas e mais de uma centena de jogos, temos tido a possibilidade de ver nos estádios portugueses um guarda-redes de enorme valor. As qualidades continuam a um nível muito alto e o jogador é garantia de pontos em muitos momentos, como aquele em que travou o remate de Montero frente ao Sporting ou as fantásticas exibições na Luz em épocas anteriores.

Jogador experiente e profundo conhecedor do futebol, transmite segurança e confiança aos colegas. É um líder que está sempre atento ao que passa dentro de campo e não se coíbe de ir corrigindo as posições dos companheiros sempre que entende ser necessário. Consegue ser uma extensão do treinador e mesmo no período em que esteve sem jogar, no qual demonstrou um profissionalismo exemplar, tentou sempre apoiar e motivar a equipa. E muitas vezes até saltava do banco para dar indicações a quem estava no relvado. O espírito de compromisso com o clube é total.

A mais-valia desportiva de Casillas é inquestionável. Por exemplo, nos 22 jogos realizados esta época, manteve a baliza inviolada em 60% das partidas. A sua importância dentro do grupo de trabalho também se faz sentir. E o discurso transmitido para o exterior sempre pautou por uma grande lucidez e foco nos objetivos da equipa.

Perante tudo isto, acaba por ser natural que o presidente do FC Porto e os adeptos do clube desejem a renovação de contrato do guarda-redes espanhol, que completará 37 anos em maio. É um elemento importante para a equipa (dentro e fora dos relvados) e um jogador que o exigente tribunal azul e branco aprecia. O único senão é a questão financeira, porque se trata de um jogador caro para a realidade do futebol português e esse investimento terá de ser avaliado, sendo que também será preciso conhecer a própria vontade do jogador.

Noutro plano, é também justo admitir que Iker Casillas deu (e dá) projeção internacional ao futebol português. Os nossos vizinhos espanhóis e adeptos de muitos outros países passaram a acompanhar a nossa liga devido à presença do guardião. São milhões os fãs que acompanham, através das redes sociais, o dia a dia do espanhol em Portugal, que passaram a conhecer melhor o clube, a cidade do Porto e os todos os outros emblemas com quem os dragões jogam. É um embaixador da liga portuguesa que contribuiu para uma maior notoriedade do nosso campeonato e até do país. Aconteça o que acontecer no final da época, a sua passagem pelo futebol luso está a ser muito positiva e merece o devido reconhecimento.



O Craque – Solidez na baliza
Ao contrário dos 2 anos anteriores, em que o Tondela esteve sempre numa situação mais aflitiva na luta pela manutenção, esta época a equipa está numa posição mais tranquila e parece bem colocada para atingir o seu objetivo. Sem contar com os 3 grandes, o Tondela é mesmo quem menos golos sofreu a jogar na condição de visitante (13). O guardião Cláudio Ramos é um dos elementos que tem contribuído para os bons resultados da equipa. Seguro entre os postes, ágil e com margem de progressão. Aos 26 anos, está a ganhar maturidade para desafios maiores.

A Jogada – Miúdos entre graúdos
Uma das notas do clássico entre FC Porto e Sporting foi a presença em campo de dois jogadores ainda com idade de júnior: Diogo Dalot nos dragões e Rafael Leão nos leões. Dois miúdos entre graúdos que prometem muito para o futuro. O lateral portista, mesmo jogando fora da sua posição de raiz, tem substituído Alex Telles com grande eficiência e mostra muito potencial. Por seu lado, o avançado leonino, que Jesus já comparou a Jordão, deixa também um bom cartão de visita com o golo apontado e as qualidades evidenciadas. Duas pérolas para serem trabalhadas no futuro.

A Dúvida – Reforço escondido
Wendel foi uma das grandes figuras do campeonato brasileiro em 2017. Cobiçado por vários clubes europeus, o médio de 20 anos acabou por assinar pelo Sporting, que fez um elevado investimento para o contratar. As diferenças entre o futebol sul-americano e europeu, no plano tático e da própria intensidade do jogo, levam a que o jogador esteja a passar por um período de adaptação, sem ser utilizado. A natural curiosidade de ver o novo jogador em ação leva os adeptos leoninos a perguntarem por ele. Mas Jesus parece ver nele uma aposta para a próxima temporada. Terá Wendel oportunidades nos próximos jogos?
Deixe o seu comentário
M M