Saída de campo

Bernardo Ribeiro

Bernardo Ribeiro

Diretor adjunto
Bernardo Ribeiro

Dias estranhos

O título da crónica é roubado a um interessante filme de Kathryn Bygelow, no cenário que a realizadora norte-americana descrevia de profunda desorientação da sociedade. Não são tão apocalípticos os tempos que vivemos, mas pode dizer-se que o futebol nos leva a viver situações caricatas. Interessante como apenas um dia após o triste episódio protagonizado pelo Conselho de Disciplina assistimos a uma importante reunião de árbitros e staff na Cidade do Futebol e somos brindados com uma foto de José Manuel Meirim à conversa com os juízes. O mesmo que usou nos fundamentos o facto de não perceber muito de leis de futebol. O tal que demorou apenas 3 dias a julgar culpado Jorge Sousa e demorou mais do dobro a perceber o que fazer com Eliseu. Fortes com os fracos. Nisso somos bons em Portugal.

Escrevi aqui na terça-feira que os árbitros estavam com um critério demasiado largo e corriam o risco de promover a violência. Folgo saber que ontem foram dadas instruções de tolerância zero. Estou obviamente de acordo, mas não deixa de ser curioso que seja dito... 24 horas após o ‘dia estranho’.

São muitos os ataques ao vídeo-árbitro. Que Fernando Gomes saiba resistir à pressão. Sou chato mas repito: o problema não é a tecnologia, são as pessoas. É exigir qualidade onde há, pelo menos, incompetência.

31.08.2017
M M